quarta-feira, 2 de abril de 2014

Max reivindica cobertura do Canal 3 no Augusto Franco

Durante seu pronunciamento na Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), o vereador Max Prejuízo (PSB) comemorou a inauguração da cobertura do Canal 5 e reivindicou a cobertura do Canal 3. “Os Canais 4 e 5 já foram contemplados e nada mais justo que aconteça o mesmo com o Canal 3. É uma questão de urbanização, de melhoria da qualidade de vida e, também, de mobilidade urbana”, disse Max que vem mantendo diálogo constante com o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), sobre a importância desta obra.



A inauguração da cobertura do Canal 5 aconteceu na noite desta segunda-feira, 31/3. Advinda de recursos públicos federais do Ministério do Turismo através de uma emenda do então senador Almeida Lima (PMDB), e uma contrapartida da Prefeitura de Aracaju, a obra esteve paralisada durante meses pela falta do repasse da verba federal e só teve sua retomada após reunião em Brasília entre o vereador Max Prejuízo (PSB) e o secretário Fábio Mota da Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, por intermédio do deputado federal Valadares Filho (PSB), onde as pendências foram apresentadas.

"Mais uma obra esperada pela comunidade e que agora é realidade. Não tivemos apenas a cobertura de um canal, mas toda a urbanização da área, com ciclovia e equipamentos de lazer. Isso é uma grande conquista para o Augusto Franco. Isso é qualidade de vida”, comemorou Max.

Mercado do AF
O parlamentar sugeriu que o Horto Mercado Vereador Milton Santos, conhecido como Mercado do Augusto Franco funcione, diariamente, das 15h às 22h, para melhor atender a população. O vereador reivindica ainda que os comerciantes de confecções e outros produtos, que já comercializavam no mercado, continuem trabalhando.

50 Anos da Ditadura Militar
O vereador Max Prejuízo, que é neto do militante político Gervásio dos Santos, o Careca, que foi preso na época da ditadura militar, definiu o dia de hoje como “histórico. Quando meu avô foi preso teve um grande impacto sobre a minha família. Foi um momento difícil na vida de tantas famílias que tiveram seus progenitores presos, humilhados e torturados. Lembro da minha avó, Dona Maura, que não tinha muita opção para o sustento da família, já que meu avô era o chefe da casa. Quando foi preso, passamos muitas necessidades”, disse. O parlamentar criou a Casa Cultural Careca e Camaradas, em homenagem ao avô, Careca, e aos Camaradas que sofreram ao longo desse período.

Nenhum comentário:

Postar um comentário