sábado, 12 de abril de 2014

Cineasta Hermano Penna será homenageado com o título de cidadão sergipano



O cineasta Hermano Penna receberá da Assembleia Legislativa o título de cidadão sergipano. A homenagem foi uma proposta apresentada pelo deputado estadual João Daniel (PT). O projeto de resolução nº 9/2014 para a concessão da honraria foi aprovado por unanimidade pelos deputados estaduais, na sessão desta quinta-feira, dia 10. A data para a entrega ainda será definida.


De acordo com o deputado João Daniel, a proposta de concessão do título de cidadão sergipano a Hermano Penna tem como objetivo reconhecer a importância que o cineasta tem para o Estado e tudo que ele fez pela cultura sergipana. “Temos que reconhecer a contribuição de Hermano Penna para Sergipe, o quanto ele já fez pela nossa cultura, divulgando o Estado lá fora”, destacou o deputado autor da propositura.

Entre as obras importantes de Hermano Penna, o longa “Sargento Getúlio”, que no ano passado completou 30 anos. Uma adaptação da obra homônima de João Ubaldo Ribeiro, “Sargento Getúlio”, conta a história do homem que tem a missão de levar um prisioneiro, inimigo político de seu chefe, de Paulo Afonso a Aracaju.

O filme foi gravado no município de Poço Redondo e teve no elenco principal os atores sergipanos Orlando Vieira – no papel de Amaro, motorista do personagem principal, Sargento Getúlio, vivido nas telas por Lima Duarte –, Amaral Cavalcanti e Antônio Leite. Por “Sargento Getúlio”, Hermano Penna recebeu o prêmio de melhor diretor do Festival de Locarno, na Suíça, em 1983, e o longa também foi escolhido melhor filme do Festival de Gramado.

No ano passado, Hermano Penna lançou outro longa-metragem também rodado em terras sergipanas. “Aos ventos que virão”. Também filmado em Poço Redondo, ele conta a história de um dos cangaceiros remanescentes, Zé Olímpio, que vai embora da cidade depois da morte de Lampião. A perseguição força ele, junto com a mulher Lúcia, a largar tudo e tentar a vida em São Paulo, como milhares de nordestino que migram para o sudeste brasileiro e iniciam uma luta contra o preconceito, o subemprego e a intolerância.

Histórico
Hermano Penna nasceu no Estado do Ceará, em 1945. Viveu sua juventude na Bahia, até que em meados da década de 60 foi para Brasília e de lá para São Paulo. “Sargento Getúlio” foi seu primeiro longa-metragem. Além dele e de “Aos ventos que virão”, Penna também dirigiu “Olho de boi” (2007), Mário (2000) e Fronteira das almas (1987).

Nenhum comentário:

Postar um comentário