sábado, 29 de março de 2014

Líderes do PSDB de Sergipe defendem CPI da Petrobras



Os dirigentes do PSDB de Sergipe comemoraram o fato de a oposição no Congresso Nacional ter assinado o requerimento sugerindo a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras. O negócio, que gerou um rombo de US$ 1,2 bilhão à estatal, no entendimento dos tucanos de Sergipe, precisa ser bem explicado, sobretudo, por se tratar de um patrimônio da empresa.


As lideranças do PSDB sergipano avaliam que esse tipo de medida fragiliza muito a credibilidade do governo federal. “O senador Aécio Neves e todos os demais integrantes dos partidos que assinaram o requerimento estão de parabéns pela iniciativa. O povo brasileiro precisa de uma resposta e a instalação da CPI abre essa perspectiva de se poder explicar à sociedade o que está acontecendo, além de conhecer como se deu essa transação bilionária”, destacou o vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado, que é vice-presidente do diretório estadual do PSDB.

Na avaliação do presidente estadual do PSDB de Sergipe, Roberto Fontes de Goes, há um fato concreto que, por si só, justifica a criação da CPMI. “O PSDB, através do seu presidente Aécio Neves, encabeçou essa luta e nós, como correligionários e como brasileiros, defendemos o melhor para o nosso país, não podemos ficar de braços cruzados. Todos devemos nos unir para que essa CPI seja instalada e funcione para que tenhamos uma noção exata do que está acontecendo”, afirmou.

Roberto entende que não dá para ficar "assistindo de camarote", a destruição de um patrimônio, o desmantelo de uma empresa de extrema importância como a Petrobras, sem que haja um posicionamento firme dos congressistas. Roberto Goes ressaltou a necessidade de mais parlamentares assinarem o Requerimento. Atualmente, já existem 29 assinaturas, duas a mais que o número exigido regimentalmente para tramitar o pedido de CPI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário