quinta-feira, 13 de março de 2014

Eduardo Amorim denuncia situação de caos na segurança sergipana

O senador Eduardo Amorim (PSC-SE) destacou no Plenário do Senado matéria do Jornal Correio de Sergipe com matéria principal “SSP registra 14 homicídios em um único final de semana”. O parlamentar lembrou que Sergipe “já foi um dos estados mais pacatos desse país. Hoje, vivemos um estado de total insegurança”, disse.

Segundo Amorim, a imprensa tem mostrado amplamente o que vem acontecendo na capital, Aracaju e em todos os municípios. “Como justificar que em um único final de semana, 14 pessoas tenham sido assassinadas, 13 por arma de fogo e um por arma branca. Devemos ficar de braços cruzados? Obviamente que não”, comunicou o senador.

“O fenômeno da violência está tomando conta de todo Sergipe, somos reféns do medo e da insegurança, não podemos cruzar os braços e fingir que nada está acontecendo? Não esperem omissão da minha parte”, avisou Amorim ao comentar que o Correio de Sergipe trouxe matéria de página inteira, onde além dos assassinatos, destacou a violência no trânsito.

O parlamentar avisou que um fato novo pode acontecer no estado, segundo ele os delegados sergipanos não descartam a possibilidade de entrarem em greve pela primeira vez na história local. “O Governo não deu o reajuste linear da categoria em 2013 e nem este ano, faltam condições de trabalho, principalmente as do interior, estão precárias”, disse Amorim que fez um apelo ao Governo “resolvam a situação, caso contrário à população será, de fato prejudicada”.

Dados mostrados pelo senador apontam que Sergipe tem 142 delegados, tendo 56 locados no interior – sendo que são 75 municípios. “O fato é que alguns delegados são responsáveis por quatro delegacias”, disse Amorim ao falar, também, que a maioria das delegacias do interior têm no máximo dois agentes, outras têm apenas um agente e há localidade que não têm nenhum.

Eduardo Amorim destacou as aspas do presidente da Associação dos Delegados de Polícia (Adepol), Cássio Viana, que concordou com o baixo efetivo para a demanda do estado. Segundo Viana, Sergipe está precisando de 50 delegados e o déficit atual está refletindo no aumento da violência.

“Torço para que um acordo seja selado com o governo, para que a população sergipana não sofra com essa onda de violência que avança como um tsunami por onde passa”, apelou Amorim. O parlamentar acredita que as reivindicações são legitimas. “Há cerca de dez anos, em Aracaju e região metropolitana, possuía duas delegacias plantonistas, mesmo com o aumento nos números da violência ao longo dos anos e, em contra partida, temos, hoje, uma delegacia a menos”.

Ao finalizar o discurso o senador falou sobre os “vultosos recursos do governo federal”. “Acredito que todos hão de concordar comigo, que se o problema não é falta de recursos e de investimentos, só nos resta imaginar que o problema reside em má gestão e falta de pessoal”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário