quarta-feira, 12 de março de 2014

CDR recebe ministro Francisco Teixeira para falar sobre obras de transposição do rio São Francisco

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), recebeu hoje (12) o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, que trouxe um balanço das obras de transposição do rio São Francisco. Na audiência prestigiada por 12 senadores (Lúcia Vânia (PSDB-GO), Cícero Lucena (PSDB-PB), Ana Amélia (PP-RS), João Durval (PDT-BA), Lídice da Mata (PSB-BA), José Pimentel (PT-CE), Rubens Figueiró (PSDB-MS), Inácio Arruda (PCdoB-CE), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Humberto Costa (PT-CE), o ministro afirmou que 75% das obras do Projeto de Integração do rio São Francisco serão concluídas até dezembro. Segundo o governo, 55,5% do total previsto já estão concluídos. A audiência foi a primeira de uma série que compõe um ciclo de debates sobre o tema.


O senador Valadares lembrou a importância do Rio São Francisco para a população nordestina. “A participação do ministro contribui para o debate em torno do aproveitamento dos recursos hídricos fornecidos pelo rio”, destacou. Para ele, ficou evidente na exposição que o ministério tem se esforçado para dar celeridade ao processo. “Realmente é um projeto complexo e há um controle rígido dos órgãos ambientais na execução das obras”, assinalou.

Na sua exposição, o ministro da Integração, Francisco Teixeira, destacou que o objetivo principal do Projeto São Francisco é equilibrar a disparidade em torno da disponibilidade hídrica, com prioridade no abastecimento humano. Segundo ele, a situação é que hoje os reservatórios operam com reversa hídrica menor de 30% e que o rio São Francisco entra nesse período mais crítico para levar água para uma população de cerca de 12 milhões de habitantes em 390 municípios de Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

O ministro também informou que 75% das obras do Projeto de Integração do rio São Francisco serão concluídos até dezembro. O ministério prevê a entrega de 100 quilômetros de canais em cada eixo em dezembro de 2014. A expectativa é de que todas as obras, que integram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sejam concluídas até dezembro de 2015. “A meta é avançar em média 2% ao mês para que possamos chegar com 75% dessas obras concluídas até o final deste ano e  ficar os 25% [restantes] para o ano seguinte”, disse.

Estão em construção canais, aquedutos e barragens naquela que vem sendo classificada pelo governo de “maior obra de infraestrutura hídrica do país”. Orçado em cerca de R$ 8 bilhões, o projeto contempla 477 quilômetros de canais, formando os eixos Norte, que vai de Cabrobó (PE) a Cajazeiras (PB), e Leste, com início em Floresta (PE) e término em Monteiro (PB) que conduzirão a água no semiárido nordestino. Atualmente, as obras, que incluem a recuperação de 23 açudes, construção de 27 reservatórios, além de nove estações de bombeamento, 14 aquedutos e quatro túneis exclusivos para a passagem de água, empregam mais de 9.200 trabalhadores, segundo o ministro.

Valadares ficou satisfeito com o resultado da audiência. “Concluí-se que os esforços estão sendo oferecidos para dar maior celeridade as obras”, disse. O senador enalteceu o trabalho do Ministério da Integração e da Codevasf em Sergipe. “Ambos estão realizando um trabalho magistral com a revitalização dos perímetros irrigados do Baixo São Francisco e com saneamento básico melhorando a condição de vida em 14 municípios”, disse. Valadares, também, disse que acredita na viabilização do Projeto Xingó que vai beneficiar aproximadamente 15 mil pequenos e médios produtores da região.

Por Ana Paula Dourado (Brasília-DF)

Nenhum comentário:

Postar um comentário