segunda-feira, 10 de março de 2014

Campanha de vacinação contra o vírus HPV teve início hoje

Teve início hoje, 10, a Campanha Nacional da Vacinação contra vírus Papiloma Humano (HPV).  Com o tema "Cada menina é de um jeito, mas todas precisam de proteção", a iniciativa será realizada em todo o país e, em Sergipe, a meta é vacinar, até o próximo dia 10 de abril, 50.720 meninas na faixa etária de 11 a 13 anos nos 300 postos de saúde dos 75 municípios.

Para garantir que, no mínimo, 80% do público alvo sejam imunizados, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribuiu entre os municípios 60 mil doses da vacina além de seringas e material educativo. 
A vacina contra HPV tem eficácia comprovada. Hoje, é utilizada como estratégia de saúde pública em 51 países. A sua segurança é reforçada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS).
De acordo com a gerente Estadual de Imunização, da Secretaria de Estado da Saúde, Sândala Teles, a vacina contra o vírus HPV será administrada em três momentos. "A primeira dose iniciará partir desta segunda-feira. A segunda, seis meses depois. E a terceira, cinco anos após a primeira dose, ou seja, no ano de 2019. Para que não haja interrupção, será feito um cadastro com todos os dados pessoais das adolescentes no momento da primeira dose", explica.
A gerente ressalta ainda que "a campanha ocorrerá de forma mista. Além das Unidades Básicas de Saúde, as vacinas também serão ofertadas nas escolas públicas. Essa medida, que será articulada pelos municípios, tem como objetivo aumentar a oferta".
O gerente do Programa Estadual DST/AIDS da SES, Almir Santana, lembra que o vírus HPV é uma das principais causas de ocorrência do câncer do colo de útero, terceira maior taxa de incidência entre os cânceres que atingem as mulheres.
"A vacina do HPV é quadrivalente porque confere proteção contra os quatro vírus que provocam o câncer de colo de útero na mulher. Vale lembrar que o vírus pode ser passado de uma pessoa para outra durante relações sexuais sem proteção, gestação ou no momento do parto. Por isso, a recomendação é a vacinação contra o vírus, o exame papanicolau periodicamente e o uso do preservativo", aconselha Almir Santana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário