sexta-feira, 28 de março de 2014

A Câmara Federal deu uma resposta aos vereadores que não souberam valorizar os negros da nossa sociedade", disse Emmanuel‏

O parlamentar destacou  a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que garante 20% de vagas aos negros em concursos federais; mas em Aracaju, os vereadores rejeitaram. 


 
Durante seu discurso, no plenário da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), o vereador Emmanuel Nascimento (PT), mais uma vez lamentou a rejeição pela Comissão de Constituição e Justiça, do seu Projeto de Lei nº 252/2013 que garante 20% das vagas nos concursos públicos aos negros. Emmanuel frisou que a comissão deu as costas aos negros da cidade de Aracaju.

O parlamentar aproveitou a oportunidade para trazer a decisão do plenário da Câmara Federal, que ontem, 26, aprovou o Projeto de Lei 6738/2013 que reserva 20% das vagas nos concursos da administração direta e indireta da União aos candidatos negros e teve o apoio de 314 deputados federais, 36 contrários e seis abstenções, sendo encaminhado para o Senado, onde aguardará aprovação.
 “A Câmara Federal deu uma resposta a Câmara Municipal, que não foi sensível para aprovar o projeto e valorizar esse segmento da sociedade, a que todos nós devemos muito. Nós dessa casa viramos as costas para os negros de Sergipe, salvo raras exceções, como os vereadores Max Prejuízo e Iran Barbosa”, ressaltou Emmanuel.
O vereador parabenizou os deputados federais por ter aprovado o projeto que garante as vagas nos concursos para os negros, que sempre foram esquecidos e afirmou que irá apresentar novamente o seu projeto para que os demais parlamentares possam avaliar e seguir o exemplo da Câmara Federal e aprovar a lei.
“Meu projeto não prejudica ninguém, só beneficia os negros, que sofreram durante tantos anos na senzala e ainda hoje sofrem, não tendo as melhores moradias e nem educação”, disse o vereador.
 Projeto
O Projeto de Lei nº 252/2013 do vereador Emmanuel Nascimento tem por objetivo reservar aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública municipal, das autarquias, das empresas públicas, Poder Legislativo Municipal e das sociedades de economia mista controlada pela Prefeitura de Aracaju. O projeto nem sequer chegou a 

Nenhum comentário:

Postar um comentário