domingo, 9 de fevereiro de 2014

Polícia indicia suspeito de entregar artefato que feriu cinegrafista

A Polícia Civil do Rio de Janeiro considera “inverossímil”  o depoimento), na 16ª Delegacia de Polícia (DP) da Barra da Tijuca,  pelo estudante universitário Fábio Raposo Barbosa, de 22 anos, morador do Méier, suspeito de participação na deflagração de um artefato explosivo que atingiu o cinegrafista Santiago Andrade, durante manifestação popular na Central do Brasil, no último dia 6.

A avaliação foi apresentada agora à tarde pelo delegado titular da 17ª DP de São Cristóvão, Mauricio Luciano, responsável por comandar as investigações do caso.  Segundo Luciano afirmou no sábado (8), “ele [Fábio] preparou uma versão  com seu advogado para se eximir de responsabilidade, mas o delegado que o interrogou, da 16ª DP,  me ligou passando a impressão que ele teve. Viu que ele estava nervoso, gaguejando. A história dele  não convence”, assegurou. Segundo o delegado, Fábio se apresentou com a profissão de tatuador e negou pertencer a grupos ideológicos, como os black blocs.

Continue lendo no Congresso em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário