quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Projeto Carnalita para André Moura deve prevalecer o bom senso

 Na Ouro Negro FM, no município de Carmopólis, em entrevista ao radialista Eli Augusto, o deputado federal André Moura posicionou-se sobre o Projeto Carnalita,  empreendimento da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) que consiste em transformar a carnalita em potássio e incrementar a produção de fertilizantes no Brasil.

Motivo de discordância desde o anúncio, pela CVRD, de que a usina de beneficiamento ficaria em Japaratuba, onde se encontram localizados apenas 20% do minério, esta semana o prefeito de Capela, Ezequiel Leite, anunciou que não irá assinar o documento de autorização do uso do solo da cidade para a instalação das minas de carnalita por não aceitar o local de instalação da usina, uma vez que 80% das jazidas encontram-se em seu município. O principal problema é que ambos municípios desejam os royalties advindos com a exploração mineral.
Acusado de ser responsável pela decisão do prefeito Ezequiel, o deputado federal André Moura foi aos estúdios da rádio Ouro Negro e se pronunciou sobre o assunto dizendo que, apesar de fazer parte do mesmo agrupamento político, o prefeito toma as decisões que achar melhor para o seu município. "O prefeito é independente e só deve satisfação ao povo de Capela. Eu nunca interferi na decisão dele. A minha é de que deve prevalecer o bom senso entre Capela e Japaratuba".

Favorável a um consenso entre os municípios para que nenhum saia perdendo nesse imbróglio, o presidente estadual do PSC disse que a empresa mineradora toma decisões com bases técnicas. "A CVRD fez uma análise técnica e esta definiu Japaratuba como sendo o melhor local para a instalação da usina. Sou a favor de que os dois municípios trabalhem de forma conjunta. Em um se encontra a maioria da jazidas, no outro é feito o beneficiamento do produto. O bom senso deve prevalecer e os royalties ser divididos entre ambos", considerou.
Continuando a questão, Moura afirmou que o Projeto Carnalita deve estar acima de questões politicas, pois com a briga perdem não somente os dois municípios, mas  todo o Estado com a falta de geração de emprego e renda. "Defendo que haja um acordo entre os prefeitos Ezequiel  Leite e Hélio Sobral. Mas o prefeito toma as atitudes que achar melhor para a população de Capela".                        
Ao final da entrevista, o deputado ainda sugeriu um diálogo entre os gestores municipais e o governador Jackson Barreto, para que havendo um acordo oficial fique tudo devidamente documentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário