terça-feira, 21 de janeiro de 2014

PCdoB confirma pré-candidatura de Edvaldo Nogueira ao Senado‏

Na manhã dessa terça, 21, em coletiva à imprensa sergipana, a direção nacional do PCdoB indicou em quem o partido irá apostar suas cartas em 2014. O presidente nacional do partido, Renato Rabelo, oficializou a pré-candidatura do ex-prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, ao Senado da República.


Integrante do comitê que divulgará a estratégia do partido em todos os Estados nas próximas semanas, Renato estava acompanhado da deputada federal e vice-presidente do partido, Luciana Santos, e do senador Inácio Arruda. Também estavam presentes os presidentes dos diretórios estadual e municipal do PCdoB, Alisson Souza e Antonio Bittencourt, além da ex-deputada Tânia Soares, vereadores do partido, lideranças e o padre Inaldo, de Socorro.


“Nesses últimos oito anos o partido tem acumulado forças importantes. Tivemos grande participação em eleições municipais, disputando primeiro lugar em capitais. Na última eleição fomos o quarto partido mais votado para o Senado”, afirmou Rabelo, indicando que o clima é otimismo para a disputa. A candidatura para senador segue o plano nacional do PCdoB de avançar na ocupação de espaços políticos e o carro-chefe dessa pretensão é a candidatura de Flávio Dino ao governo do Maranhão.


Visto como sucessor natural da articulação entre PT e PCdoB, considerada exitosa em Aracaju e em Sergipe, o ex-prefeito Edvaldo Nogueira afirmou estar preparado para enfrentar qualquer candidato. Ele também disse estar disposto a conversar com todos os partidos com o intuito de buscar aliados para tornar sua candidatura majoritária. 


Para Rabelo, ex-prefeito é o sucessor natural do ex-governador Marcelo Déda, falecido em 2 de dezembro passado, e que deixou uma lacuna na política sergipana. “Edvaldo é uma liderança que se consagrou aqui no Estado. Ao lado de Déda desde a década de 80, fez parte dessa renovação política em Sergipe. Eles inovaram aqui”, disse o presidente. “É o momento de apresentar a candidatura porque ele fez parte, com Déda, da renovação política de Sergipe”, disse Renato.


Disputa com Maria - Questionado sobre os rearranjos políticos que podem surgir a partir dessa candidatura, Edvaldo Nogueira foi contundente ao dizer que o panorama dessas eleições está longe de ser definido e que a partir de agora é que os diálogos com os outros partidos serão estabelecidos. 


O primeiro encontro será com o governador Jackson Barreto na tentativa de coadunar as forças e obter uma chapa majoritária. “Independente de qualquer análise, acredito que muitas águas irão rolar até maio”, afirmou. Indagado pelos jornalistas sobre intenções de voto e tendo à frente possíveis candidatos como a senadora Maria do Carmo (DEM), Edvaldo deixou falar a voz da experiência: “Não há candidato tão forte que não possa perder, nem tão fraco que não possa ganhar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário