quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Governo do Estado custeia três vezes mais o tratamento intensivo do que recebe do Ministério da Saúde‏

A nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) foi entregue pelo governador Jackson Barreto. A reestruturação foi resultado de um investimento de R$14,3 milhões em obras e equipamentos. São 65 leitos agregados à tecnologia de ponta, privacidade dos pacientes e acompanhantes e moderna ambiência.


Para custear a UTI, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES) aporta recursos três vezes maiores que os repassados pelo Ministério da Saúde (MS).  "O custo da diária do leito da antiga UTI girava em torno de R$ 1.270,00, incluindo as despesas com os equipamentos médicos hospitalares, medicamentos e profissionais. O custo com a diária da nova UTI está prevista para R$ 2,5 mil por leito. Recebemos do Ministério a quantia de R$800,00 por dia para cada leito. O maior valor é bancado pelo Governo. Quando falamos em Saúde, falamos de investimento, investimento alto e o Estado tem cumprido com o seu compromisso na garantia dessa assistência", contabiliza a secretária de Estado da Saúde, Joélia Silva Santos.

Os números foram passados durante entrevista à Luandê FM, em Tobias Barreto. Esse aumento no valor está diretamente ligado à qualidade dos serviços prestados, aos equipamentos de alta tecnologia implantados, aos recursos humanos e vários outros fatores relacionados ao tratamento intensivo de pacientes que envolve, também, medicamentos sofisticados e de alto custo.

De acordo com o diretor operacional da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), Wagner Andrade, a UTI do Huse passa a contar com um parque tecnológico de grande importância para o tratamento de pacientes críticos em Sergipe.

"Temos um ambiente com leitos preparados para receber o paciente crítico com ampla climatização, equipamentos de ponta e melhor visibilidade deles pelos profissionais. O novo espaço possui camas elétricas para obter melhor movimentação do paciente no leito. Os monitores multiparamédicos e os respiradores também são de última geração. Em Sergipe não temos equipamentos como estes em nenhuma unidade pública e nem em hospitais da rede privada", afirmou.

Para o superintendente do Huse, Augusto César Esmeraldo, "a nova UTI vai aprimorar a organização dos pacientes. Outra mudança importante é a nova ambientação e a possibilidade de proporcionar uma assistência cada vez mais humanizada".

O Sistema Único de Saúde (SUS) de Sergipe ainda oferta 10 leitos de UTI no Hospital Regional de Lagarto, na região Centro-Sul de Sergipe. "Estamos trabalhando para implantar mais 20 leitos no interior, sendo 10 no Hospital Regional de Estância e mais 10 no Hospital Regional de Itabaiana. Inclusive, na de Itabaiana, estamos com os leitos praticamente prontos mas ainda com problema na formação da escala de profissionais médicos", finalizou Joélia Silva Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário