terça-feira, 28 de janeiro de 2014

"Evitar a movimentação de dinheiro no interior do ônibus pode inibir a ação dos assaltantes"

O número de assaltos realizados nos ônibus na Grande Aracaju tem preocupado não só o cidadão comum, como também a classe dos rodoviários e as empresas do transporte coletivo. Um levantamento feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiro (Setransp) aponta que em 2013, só de assaltos diretos aos cobradores e motoristas, foram contabilizados 674 casos, e esse número subiu para mais de 800 contando com os assaltos aos usuários de ônibus. Mesmo as empresas disponibilizando câmeras filmadoras 85% da frota, vigilantes nos terminais, e cobrando, frequentemente, do Poder Público providências para garantir a segurança, os assaltos continuam. Mas de acordo com o Setransp e o Sinttra, o uso estratégico do Cartão Mais Aracaju pode inibir a atuação de meliantes.


“Antes da implantação do Mais Aracaju os assaltos eram ainda mais frequentes do que a média atual de dois por dia, porque com o dinheiro na mão, ou, à época, vale transporte, o cidadão ficava a mercê dos meliantes ao abrir a carteira para pagar a tarifa ou receber o troco. Agora, com o Cartão Mais basta a pessoa apresentar, utilizar a digital, e logo é computada a passagem. Então, acreditamos que evitar a movimentação de dinheiro no interior do ônibus pode ajudar a inibir a ação dos assaltantes”, comentou o superintendente do Setransp, José Carlos Amâncio.

Geralmente, os maiores alvos de assaltos são as linhas Piabeta, Conjunto Jardim, Parque dos Faróis, Santa Maria, e as que passam pelo terminal Maracaju. E na maioria dos casos o roubo parte de menores. A estudante universitária Egicyane Lisboa foi uma das vitimas: “eu já tive meus pertences retirados da minha bolsa, que esqueci aberta, após pagar a passagem, e tenho amigas que foram assaltadas nos ônibus à mão armada”. Somente nos primeiros dias de 2014 foram registrados 10 assaltos, sendo um com agressão física no conjunto Fernando Collor. Temendo a situação, motoristas e cobradores chegaram a ameaçar cruzar os braços, principalmente os que trabalham no turno da noite. 

“Já temos um esvaziamento do número de profissionais neste turno, e muitos usuários estão optando por outras formas de transporte temendo aos assaltos", disse à imprensa Miguel Belarmino, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (Sinttra). Belarmino também acredita que as ações adotadas para a bilhetagem eletrônica foram benéficas, e defende: “o estimulo ao uso do sistema do Cartão Mais pode contribuir com a redução dos casos, já que assim se lidará menos com o dinheiro”.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário