terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Dengue: aproveite o verão sem descuidar da saúde


É verão! Época para usar roupas mais leves e aproveitar bastante o dia. Mesmo associada ao descanso, às temperaturas mais elevadas e à escassez de chuva, a estação exige a intensificação dos cuidados básicos para evitar uma nova epidemia da dengue.



Dentro de casa, a atenção deve ser redobrada. É preciso que as pessoas evitem o acúmulo de água parada nas lavanderias, tanques, caixas d´água, vasos de plantas e em outros locais que possam ser criadouros do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da doença, a exemplo, também, do reservatório de água de geladeira.



A gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde, Sidney Sá, orienta que, além disso, é preciso que os recipientes sejam lavados para evitar  o acúmulo do ovo do mosquito, que pode ficar até 450 dias parado, mesmo em local seco.




"Quando esse local receber água limpa novamente, favorecerá a eclosão do ovo e o mosquito pode atingir a fase adulta em até sete dias. Caso ele esteja contaminado com o vírus, esse será o tempo necessário para que possa iniciar a contaminação dos moradores da casa e até do bairro, caso os cuidados não sejam adotados", explica Sidney Sá.




Casos




Entre os meses de janeiro e setembro de 2013 foram notificados 1.845 casos de dengue em Sergipe. Desse total, 357 foram confirmados sendo que, quatro casos foram de dengue grave e dois óbitos. Essa incidência foi menor do que a obtida entre todo o ano de 2012 no Estado, quando houve a notificação de 11.192 casos,  com a confirmação de 4.095, sendo 42 casos de dengue grave e três óbitos.




"A luta contra a dengue é diária e deve ser feita por todos. A população precisa colocar em prática as medidas de prevenção dentro da própria residência, no trabalho, na rua e demais ambientes que costuma frequentar", ressalta Sidney Sá.




Em Sergipe, o Governo do Estado promove ações em parceria com os municípios com a finalidade de combater a dengue. Dentre as iniciativas está o trabalho da Brigada Itinerante (que vai a todos os municípios fazer a fiscalização in loco), capacitação de técnicos municipais, ampliação do número de municípios que fazem o Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) e a melhoria da assistência aos pacientes em hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Nenhum comentário:

Postar um comentário