terça-feira, 7 de janeiro de 2014

521 barragens recuperadas pelo Governo do Estado superam a meta de 2013‏

Governo de Sergipe concluiu a etapa de 2013 do Programa de Recuperação de Pequenas Barragens, com um saldo de 517 aguadas, em 11 municípios, e mais quatro reservatórios públicos de terra reformados.Foi uma ação conjunta, dada pelo convênio entre a Secretaria de Estado de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri) - por meio da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) - e a Secretaria da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides).

A meta do Programa- que teve início em 2012- neste ano era de recuperar 500 pequenas barragens de até 20.000 m³, contando com recursos na ordem de R$ 1 milhão, do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep). Dando continuidade ao plano de ação, do Governo de Sergipe, para convivência do homem do campo com a seca. O foco foram os micro-pecuaristas, com no máximo 20 cabeças de gado, já que esses reservatórios para a água da chuva, na maioria das vezes, serve para dessedentação animal.
 
 

Segundo o presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, o programa atendia aos municípios sergipanos em situação de emergência devido à seca, decretada e reconhecida pelo Governo do Estado e constituía uma das frentes de ação de enfrentamento da estiagem. “A falta de chuvas dos verões passados forçou a execução de planos governamentais que tivessem o objetivo de amenizar os efeitos da seca, a exemplo da ação federal de distribuição de água com caminhões pipa, como também a recuperação de poços comunitários, em que a nossa Companhia também participa. A recuperação destas barragens visa a prevenção para os próximos verões, aumentando a capacidade destas barragens para acumular a água no período de chuva”.
 

Diretor de Infraestrutura da Cohidro, Paulo Henrique Sobral, diz que o ganho no potencial de armazenamento aumentou e prepara esses reservatórios para acumular água dos períodos de chuva. “A ampliação e recuperação destes tanques de terra, proporcionou um armazenamento de aproximadamente 6,5 milhões m³ de água, beneficiando assim uma população aproximada de 245 mil pessoas do campo”, relatou, explicando que o trabalho das equipes de engenharia era principalmente de retirada de sedimentos do leito destas aguadas e recuperação de barreiras de contenção.
 

Pequenas barragens
 
 
Riachão do Dantas, Poço Redondo, Tobias Barreto, Monte Alegre, Porto da Folha, Frei Paulo, Pinhão, Pedra Mole, Feira Nova, Arauá e Itabaianinha foram os municípios que tiveram pequenas barragens recuperadas. Valdir Aragão Porto, engenheiro civil da Cohidro e responsável pela coordenação do Programa, explica que houve um critério a seguir para que estes criadores recebessem as obras. “Ele assina um documento em que se compromete a atender as propriedades dos agricultores vizinhos, compartilhando o uso da água em novos períodos emergenciais. Além disso, é necessário que a família deste produtor esteja enquadrada como de baixa renda e tenha renda familiar proveniente da agropecuária”. revelou.

Só em Riachão do Dantas, no Agreste Sergipano, foram 103 pequenas barragens recuperadas, nos povoados Bomfim, Alto do Cheiro, Renascer, Cotia, Lagoa da Canafistula, Alto, Lagoa e Boqueirão.  O presidente da Associação Nossa Senhora de Fátima de Moradores do Povoado Boqueirão, José Francisco Vieira Santos, disse que a comunidade teve a iniciativa de procurar cadastrar seus agricultores junto a Prefeitura Municipal, após saber do Programa pela imprensa. “48, dos 60 lotes do assentamento, tiveram suas barragens reformadas. As barragens precisavam desse serviço há muito tempo. Elas salvaram muitas criações no último verão e agora estarão ainda mais preparadas”, comentou.

Porto da Folha, no Alto Sertão, é um dos municípios mais castigados nos períodos de estiagem. Lá foram recuperadas 53 pequenas aguadas no povoado Lagoa Redonda. É uma localidade onde a pecuária leiteira é predominante, pequenos criadores que contam com esses tanques, que guardam a água da chuva, para dar de beber ao gado durante todo ano, mas segundo o agricultor Alaelson Paixão de Lima, as famílias também precisam das barragens para o uso pessoal. “Usamos a água para o banho, lavar roupa, além do uso para o gado beber. A reforma foi muito boa para nós, se a barragem não fosse limpa, não teria juntado essa água, porque a gente não tem condição de fazer por nossa conta", relata o criador de cinco vacas leiteiras.
 

Barragens públicas
 
 
As quatro grandes barragens públicas recuperadas pelo programa estão localizadas principalmente na zona rural e vão atender as demandas da população no povoado Aracuã, em Nossa Senhora da Glória; povoado Lajinha, em Gararu; povoado Melancia, em Itabi e na sede municipal de Nossa Senhora Aparecida, onde o secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, José Roberto Vasconcelos Almeida informa que o reservatório também serve aos pequenos criadores do município. “A barragem centraliza a distribuição de água emergencial e presta serviço ao povo distante, levamos água até 20 km de distância, inclusive ela atende ao município vizinho de São Miguel do Aleixo. Hoje ela está bem cheia, graças ao bom trabalho da Cohidro. Ficou muito boa a obra realizada, aumentando e muito a sua capacidade”.

 

Antônio Andrade da Silva, secretário de Administração e Finanças de Nossa Senhora Aparecida, defende a importância do reservatório para a pecuária da região. “Essa barragem é uma mãe para o município, chega a ter dia em que se juntam ali 20 caminhões pipa de uma vez. Aquele criador de 4 ou 5 cabeças de gado, quando suas pequenas barragens secam, não tem como pagar uma 'carrada' d’água com um particular, por isso precisamos de ter esse reservatório disponível para a prefeitura dar assistência à essas pessoas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário