quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Terreno Baldio: o risco da dengue pode estar ao lado‏

O cuidado para evitar a Dengue deve se expandir para fora dos muros residenciais. Além da atenção dentro de casa, a população deve se atentar para os possíveis focos nas ruas, principalmente, se houver um terreno baldio próximo, local onde, lamentavelmente, é comum o descarte indevido de lixo.

“O terreno baldio em si não oferece riscos porque a água é absorvida pela terra. Mas, basta um saco de lixo, um recipiente de plástico ou uma garrafa pet abandonada para que um pouco de água seja acumulada e torne o ambiente propício para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da Dengue”, alerta a gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria Estadual da Saúde (SES), Sidney Sá.
Ate novembro de 2013, os agentes da Brigada Itinerante da SES visitaram 13.530 terrenos baldios nos 60 municípios por onde passaram. “Durante a ação, os agentes fazem a busca de possíveis criadouros e eliminam os focos”, resume Liliane Trindade, coordenadora de Prevenção e Promoção à Saúde da Fundação Estadual de Saúde (Funesa).
Para contribuir com a ação dos agentes municipais e da Brigada Itinerante, a população deve evitar o descarte de lixo nesses ambientes. “Com isso, cada pessoa estará exercendo o seu papel cidadão e favorecendo a manutenção de um ambiente saudável”, reforça Sidney Sá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário