sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

João Daniel informa que compromissos foram assumidos em reunião na CEFsobre o PNHR

O deputado João Daniel registrou hoje que recebeu um documento dos movimentos sociais e populares que fizeram a mobilização, ontem, na Superintendência da Caixa Econômica Federal, agradecendo o apoio que receberam da Assembleia Legislativa e da imprensa. Ele informou também que foi enviada cópia da ata da audiência que aconteceu, durante três horas, com a presença de cinco diretores da instituição bancária, o delegado da Polícia Federal Daniel Horta e 17 lideranças de movimentos sociais. Na oportunidade, foram assumidos vários compromissos. 



Entre eles, João Daniel destacou que uma reunião que deveria acontecer ainda na manhã desta sexta-feira, para que sejam tomadas as providências em relação ao Programa Nacional de Habitação Rural e procurar acelerar a contratação de operações do programa. Na ata ficou registrado que “foi acordado que a Caixa Econômica Federal realizará reuniões regulares com as entidades organizadoras e representantes dos movimentos, visando dar transparência às pendências que inibem a fiscalização de empreendimentos, bem como a verificação de pendências dos empreendimentos contratados, que impossibilitam o início da obra”.


João Daniel informou que não tem interesse de ficar na imprensa debatendo mais sobre esse assunto. “Fizemos o que tinha a ser feito, encaminhamos o caso ao governo federal e aos órgãos competentes”, declarou.



João Daniel avalia que eleição de Michelle Bachelet é vitória do campo popular


A eleição da presidenta do Chile, Michelle Bachelet, foi destacada pelo deputado João Daniel (PT) na tribuna da Assembleia Legislativa. O parlamentar disse que teve a felicidade de acompanhar mais uma vitória dos trabalhadores do campo popular na América Latina. “É uma vitória da esquerda, que ajuda a reforçar a construção de um projeto de integração da América Latina, de integração dos povos e não apenas uma aliança de comércio, econômica. Estamos muito felizes”, afirmou. Michelle Bachelet foi eleita no último domingo, com 62,2% dos votos, maior índice de aprovação de um candidato à presidência no Chile, desde 1989, quando o país votou a ter eleições democráticas.


O deputado destacou que Michelle Bachelet tem uma história de luta, uma mulher que foi exilada, sofreu perseguição e se transformou em presidenta do país, perdeu uma eleição e agora renova sua eleição, apoiada pelo povo chileno que lhe deu um novo mandato. João Daniel registrou que no último ato de campanha dela teve a presença do ex-presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva.


João Daniel lembrou que até o governo Fernando Henrique Cardoso a América Latina vivia um clima de tensão, pois havia a real possibilidade da implantação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca), imposta pelos Estados Unidos e que o Brasil e a América Latina como um todo teriam que se submeter a essa aliança. “Houve toda uma mobilização dos movimentos sociais, populares, dos partidos de esquerda contrários à criação da Alca, plebiscito popular, a CNBB teve um papel fundamental, assim como as pastorais sociais. E, felizmente, tivemos a eleição do presidente Lula naquela ocasião onde ficou enterrado, não definitivamente, o projeto da Alca”, disse.


Segundo o deputado, a eleição do presidente Lula criou para a América Latina e para o mundo uma nova perspectiva e essa nova perspectiva é uma realidade e todos reconhecem, situação e oposição, o quanto o Brasil, em nível internacional, passou a ter peso nas decisões. “O Brasil passou a ser ouvido, a compor fóruns”, disse, acrescentando que hoje brasileiros ocupam cargos importantes, como a coordenação da Organização Mundial do Comércio (OMC) e o coordenador da FAO que trata na ONU da questão da alimentação.


Para João Daniel, atualmente a América Latina caminha feliz em ver vários países se encaminhando bem e o Brasil é um país decisivo nessa nova ordem. “Acompanhamos os avanços populares da Venezuela, iniciados por Hugo Chavez e sendo conduzidos agora por Nicolas Maduro; vendo as grandes mudanças que vêm ocorrendo no Equador; vendo o nosso querido presidente do Uruguai que tem uma linda história, Mogica; e a presidente da Argentina, que tem grandes avanços populares, inclusive na área da democratização dos meios de comunicação”, disse, acrescentando que acredita que a eleição de Michelle Bachelet é um avanço para as mulheres do mundo, para os trabalhadores e para a América Latina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário