quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Governo antecipa pagamento da folha de dezembro

Sensível com os servidores públicos estaduais, aposentados e pensionistas do Governo do Estado, o governador Jackson Barreto antecipou o pagamento da folha salarial referente ao mês de dezembro, num entendimento entre as secretaria da Fazenda e o Banese.  Os aposentados e pensionistas que receberiam no dia 31 de dezembro, irão receber no dia 30, junto com e servidores das autarquias, fundações e os que recebem pelo Fundo Estadual de Saúde.



A folha de pagamento do Governo do Estado começa a ser paga a partir do dia 26 de dezembro. Os primeiros a recber são os os funcionários públicos da Secretaria de Estado da Educação. Na sexta-feira, 27, os servidores das demais secretarias receberão o salário de dezembro.



O investimento do Governo do Estado no pagamento da folha salarial dos servidores estaduais entre os meses de novembro e dezembro, somado ao 13º salário, vai proporcionar até o final do mês um volume financeiro de quase R$ 1 bilhão no comércio sergipano, de acordo com os cálculos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Esse volume de recursos representa algo próximo de 12% do orçamento estadual aplicado em um espaço de apenas trinta dias.  



As informações são do superintendente de Finanças Públicas da Sefaz, Cláudio Luiz da Silva, que chama a atenção para o impacto positivo do pagamento da folha do funcionalismo para a economia sergipana no final de ano. “As festas de final de ano são o período de maior movimentação financeira no comércio e o pagamento da folha do servidor estadual estimula ainda mais as vendas não só de presentes, mas sobretudo de produtos em geral, como materiais de construção, por exemplo”, disse.



Para o Estado, o aumento nas vendas se reverte em crescimento da arrecadação de ICMS e gera mais postos de trabalho com o aumento da demanda por atendentes nas lojas. Cláudio Silva explica que o investimento realizado na folha neste final de ano exigiu um esforço muito grande na contenção de despesas, especialmente de custeio, com o intuito de assegurar o compromisso de pagamento dos salários dentro do mês.




“É um volume de recursos muito grande a ser liberado num curto espaço de tempo, isso num momento em que as dificuldades financeiras apertam o caixa estadual. Estamos falando de aproximadamente 12% do orçamento em um mês. Isso será cumprido graças à rígida política de controle da gestão financeira que o Governo do Estado adota”, concluiu Cláudio Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário