terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Eduardo Amorim: A oração é o único analgésico para uma grande perda

Após ter chegado de Brasília, o senador Eduardo Amorim concedeu várias entrevistas à emissoras de rádio locais, onde na ocasião lamentou o falecimento do governador por Sergipe Marcelo Déda que aconteceu na madrugada desta segunda-feira, 2, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após luta constante contra um câncer.


O parlamentar não hesitou a solicitação do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros em o representar na cerimônia de homenagens aqui prestadas a Marcelo Déda, no Palácio-Museu Olímpio Campos. Eduardo Amorim pediu para que as orações dos sergipanos continuassem, já que para ele "esse é o único analgésico que pode abrandar a dor da perda", e ainda enfatizou que esse era um momento muito triste para Sergipe, de uma perda precoce. "Divergências políticas nunca foram maiores que o respeito e consideração mantida".

Para o senador, o governador Marcelo Déda lutou bravamente contra o câncer. "Lutou como um nobre guerreiro. Déda era uma pessoa de princípios e valores, que não abria mão de nenhum deles. Responsável por uma nova geração política, o considero como o responsável por 'descortinar' a política sergipana para uma nova geração, deixando bons exemplos, de luta e esperanças".

O celebrante da missa à pedidos do próprio governador, o arcebispo Dom José Palmeira Lessa fez muitas homenagens e relembrou algumas passagens. " Atravessar a vida com espírito guerreiro é algo que comove e serve como um exemplo a seguir. Déda morreu na luta e foi em paz!", afirmou.

A presidente da república Dilma Rousseff, também prestou suas últimas homenagens. Nesse momento de luto quero prestar a minha solidariedade a não apenas o político Marcelo Déda, mas, ao homem e amigo querido. Ele viveu e morreu intensamente. Além de ser dono de uma brilhante oratória, também era um grande poeta e fez política com 'P' maiúsculo".

"Preciso agradecer a população sergipana por todo esse tempo de força e fé. Nos momentos em que todas as vezes ele caia, a corrente era refeita. Déda é um meteoro, onde tudo para ele era intenso, até a sua doença. Ele é uma estrela, e as estrelas brilham. Vai com Deus meu amor, te amo!", assim se despediu a esposa do governador, Eliane Aquino.

Além da presidente Dilma, estiveram presentes diversas autoridades locais e nacionais, o ex-presidente Lula da Silva, governadores do Nordeste e milhares de sergipanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário