sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

André Moura palestra no I Simpósio sobre a Redução da Maioridade Penal em Brasília


Ontem pela manhã, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, o líder do PSC, André Moura participou do I Simpósio Nacional sobre a Maioridade Penal, realizado pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, com o tema "Impactos Sociais e Financeiros da Redução da Maioridade Penal".




Falando sobre a proposta de plebiscito (PDC 494/11) para consulta à sociedade sobre a Redução da Maioridade Penal, o deputado chamou a atenção de todos os presentes que ouviam atentamente seus argumentos, sobretudo no momento em que mostrou o mapa-mundi da Maioridade. 


Na questão da maioridade penal ser ou não cláusula pétrea da Constituição o deputado Vanderlei Siraque, que é  mestre e doutor em Direito, e Fernando Francischini, delegado da Polícia Federal, fizeram um debate apresentando seus pontos de vista.


Por fim, para falar sobre os "Impactos Sociais e Financeiros da Redução da Maioridade Penal", tema que motivou o Simpósio, estiveram Sandro Avelar, secretário de Segurança do Distrito Federal (DF), Léa Martins Sales, juíza da 2ª Vara de Entorpecentes do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Beatriz Vargas de Rezende, do Ministério da Justiça e o professor Antônio Flávio Testa, Doutor em Sociologia.


André Moura também é autor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 57/11, que propõe a Redução da Maioridade de 18 para 16 anos e, para ele, eventos semelhantes são importantíssimos para esclarecer a população. "O conhecimento da população acerca desse tema é necessário para que caso a nossa proposta de plebiscito seja aprovada, o voto de fato reflita o desejo da sociedade", argumentou.





Oncologia do Huse já realizou mais de 530 cirurgias este ano

A estudante Fernanda de Araújo, 22, acompanha o tratamento do filho Fernando José, 5, um dos 700 pacientes cadastrados no Centro de Oncologia do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse). Segundo ela, durante uma cirurgia de apêndice foi diagnosticado um nódulo no intestino do garoto. Ele já passou por várias etapas e, hoje, curado, faz revisões periódicas na unidade. 

“Aqui no Huse, meu filho fez vários exames como biopsia e tomografias, além da cirurgia para a retirada do nódulo. Ele fez 10 meses de quimioterapia e 25 sessões de radioterapia. Agora, ele faz consultas periódicas e mantém todo o acompanhamento médico. Graças a Deus, Fernando recebeu toda a atenção e cuidado da equipe, além de muito carinho. Foi tudo bem durante o tratamento e comemorou a cura”, comentou.

Além de Fernando, todos os pacientes cadastrados no Centro de Oncologia do Huse são assistidos diariamente por uma equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, farmacêuticos e outros profissionais.

O Governo do Estado vem cumprindo o seu papel no avanço do tratamento dos pacientes oncológicos. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) vêm realizando uma série de ações para elevar e fortalecer a qualidade no atendimento. Uma delas é a nova sala cirúrgica no Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) destinada para pacientes oncológicos. Inaugurada há quatro meses, o espaço vem mostrando resultados significativos e aprimoramento no serviço.

Em 2011, foram realizados 342 procedimentos cirúrgicos na unidade. Em 2012, esse número chegou a 450 cirurgias oncológicas. Até novembro deste ano, já foram realizadas 531 cirurgias oncológicas.


De acordo com o cirurgião oncológico, Tadeu Siqueira, a demanda de pacientes é grande, mas a organização do fluxo para a realização dessas cirurgias mostra bons resultados. “Temos a nova sala exclusiva em funcionamento que contribui para o fluxo dos procedimentos cirúrgicos. Como a Oncologia é uma especialidade em crescimento progressivo, o trabalho integrado entre os profissionais especialistas é fundamental para o êxito do serviço”, explicou.


O Centro de Oncologia do Huse é referência no diagnóstico e tratamento dos pacientes com câncer. No local, são realizados alguns exames como biopsia, ressonância magnética, exames pré-operatórios, tomografia, além de sessões de quimioterapia e radioterapia. O paciente também recebe acompanhamento psicológico.

“A organização dos serviços é reflexo das melhorias ocorridas na área assistencial. Agora, os médicos e, principalmente os pacientes, contam com uma sala disponível para as cirurgias oncológicas, que dá mais celeridade aos trabalhos. Há também o funcionamento do novo software 3D da radioterapia e já está em fase de instalação e o mamógrafo digital, que permitirá mais agilidade para os profissionais de saúde, além da precisão no diagnóstico”, resume Adolfo Scherr, coordenador médico do Centro de Oncologia do Huse.

Avanços

O Centro de Oncologia do Huse conta com 54 leitos para internamento (18 destinados a pacientes infantis, 31 adultos e 5 reservados para pacientes pós-cirúrgicos) e realiza atendimentos clínicos e ambulatoriais, assim como tratamentos oncológicos à base de quimioterapia e radioterapia. Por mês, o setor realiza entre 350 e 400 consultas médicas oncológicas, clínica, ambulatorial ou de acompanhamento. Mensalmente, são administradas quase 800 quimioterapias adulto e 144 infantis, e uma média de 1400 sessões de radioterapia.

Além do equipamento de radioterapia do Centro de Oncologia do Huse para atender aos pacientes oncológicos, Sergipe contará com dois novos aparelhos, totalizando quatro, sendo um para o Hospital de Cirurgia e outro para o Huse.


"Por determinação do governador Jackson Barreto, foi pactuado um convênio com recursos estaduais em torno de R$ 2 milhões para conclusão das obras onde o equipamento será instalado no Cirurgia, para ampliar cada vez mais a assistência. O Governo do Estado vem priorizando abastecimento e adensamento tecnológico para garantir e fortalecer o tratamento aos pacientes oncológicos”, destaca a secretária de Estado da Saúde, Joélia Silva Santos.

Sergipe será contemplado também com um novo acelerador linear do Huse, fruto do programa de Expansão da Radioterapia do Ministério da Saúde.  “Até que esses aparelhos iniciem o funcionamento, a SES viabilizou recursos junto ao Ministério da Saúde para ampliar a prestação de serviço no setor de radioterapia. São mais de R$ 2 milhões que viabilizarão a contratação de radioterapia em unidades de estados vizinhos. A Oncologia tem sido uma das prioridades e o Governo do Estado vem melhorando e ampliando a assistência", reforça Joélia Silva Santos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário