segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Adema investe na preservação de manguezais em 2013


O Governo do Estado, através da Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA), neste ano de 2013, desenvolveu ações estratégicas a fim de consolidar um sistema de meio ambiente eficiente o qual buscou preservar todas as áreas legalmente protegidas. Prova desse marco foi a criação do Projeto “Levantamento Quantitativo do Manguezal de Sergipe”. A iniciativa mapeou toda a área de manguezal do estado, trazendo a público informações sobre este ecossistema, correspondente a uma área total de 21.910 km², dos quais Sergipe possui exatos 25.626,24 hectares de área total de manguezal.

Seguindo esses passos ao longo desses 365 dias, o órgão ambiental uniu a tecnologia com o compromisso socioambiental em uma iniciativa que garante a preservação ambiental do manguezal, através do projeto de monitoramento dos manguezais sergipanos. “Quando pensamos em desenvolver uma ferramenta que pudesse nos mostrar quanto temos de mangue e onde eles estão localizados, se o bioma cresceu ou reduziu, pensamos, sobretudo, na condição de realizar melhorias no processo de licenciamento ambiental, a qual condição envolve melhoras significativas nos processos de monitoramento e da fiscalização dos biomas”, afirmou o secretário de Estado do Meio Ambiente e presidente da Adema, Genival Nunes.

Ainda segundo ele, o monitoramento dos manguezais do Estado traz revolucionárias vantagens para a Adema, e, sobretudo, para a população sergipana por seu conteúdo e, principalmente, por refletir na qualidade de vida dos cidadãos já que os manguezais são um dos ecossistemas mais importantes do planeta.

“Muitas comunidades vivem do manguezal e dependem desse ambiente para sobreviver. Em Sergipe, por exemplo, muitos pescadores sobrevivem da pesca artesanal e da coleta de moluscos e crustáceos. Além disso, a importância ambiental mostra que o manguezal é uma verdadeira maternidade e berçário de várias espécies. Um determinado impacto que esteja afetando o manguezal pode desencadear o surgimento de outros, ao longo do tempo”, aponta Genival Nunes, que também é biólogo.

Projeto

Ao longo dos primeiros meses deste ano, o Estado de Sergipe adquiriu imagens Rapideye, constelação de satélites alemães utilizado para captação de imagens, referentes a toda a sua zona costeira. “Através da aplicação de técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento, somos capazes de realizar a comparação destas imagens de 2013 com aquelas de 2011, e obter como produto as mudanças na cobertura vegetal das áreas de mangue”, disse biólogo e técnico da Adema, Bruno Barros de Souza.

Ainda segundo ele, o projeto encontra-se em andamento e uma série de vistorias está prevista para o início do ano de 2014, com a intenção de avaliar em campo aquilo que foi detectado nas imagens.

“Apesar de o projeto encontrar-se em andamento já foi possível verificar, segundo os técnicos envolvidos no processo, que em alguns lugares a própria dinâmica natural foi responsável por reduções detectadas, sendo acompanhada de acréscimo de área em localidades adjacentes”, finalizou Bruno destacando que a Adema estará empenhada em alcançar através deste processo, a excelência em termos de proteção a este ecossistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário