segunda-feira, 25 de novembro de 2013

PIB de Sergipe alcança um crescimento de 9,47% em 2011

Análise realizada pelo secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), o economista Saumíneo da Silva Nascimento, com base no estudo divulgado pelo IBGE das Contas Nacionais, no ano de 2011, revela que o Produto Interno Bruto (PIB) de Sergipe cresceu, em volume, 9,47% em relação ao ano de 2010. A economia sergipana apresentou um crescimento maior que o apresentado pelo PIB do Brasil (2,7%) e do Nordeste (9,42%). Na base de 2011, o PIB sergipano é de R$ 26.199 milhões, o que representa 0,6% do PIB do país e coloca Sergipe, menor estado do país, na 22ª posição entre as unidades federativas.


Comparado ao Nordeste, o PIB de Sergipe também permanece sendo superior e se coloca com o maior PIB per capita do Nordeste, sendo nesta base, o PIB per capita de R$ 12.536,45. “É importante ressaltar que o PIB per capita do Brasil foi de R$ 21.535,65 e o da Região Nordeste R$ 10.379,55. Então, a taxa de crescimento do PIB sergipano de 9,47%, sendo acima do Brasil e do Nordeste, revela que estamos construindo um futuro promissor para a nossa sociedade”, informa Saumíneo.

Na apresentação dos setores, o agropecuário representa 3,5% da economia do Estado e segundo o secretário Saumíneo, este resultado se deve à extensão territorial de Sergipe e à sua economia mais voltada para setores urbanos. Já a indústria representa 28,8% da economia sergipana, sendo destaque o setor da construção civil que possui o maior peso no segmento industrial e tem uma participação de 7,7% na economia do Estado, mais que o dobro do peso do setor agropecuário.

“No segmento industrial, vale destacar que a indústria extrativa tem um peso de 7,1% na economia do Estado, indústria de transformação com 7,5% e produção e distribuição de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana com 6,5% de participação na economia de Sergipe”, acrescenta.

O setor de comércio e serviços que representam 67,7% da economia sergipana, sendo que o comércio apresenta na data base do estudo (2011), uma participação relativa de 10,8% da economia sergipana. Outros setores como Transportes e armazenagem representa 4,8%; serviços de informação 2,3%; intermediação financeira e seguros pesam 4,2%; atividades imobiliárias representam 7,8% da economia sergipana e os demais serviços pesam 10,3%. “Outro ponto importante que devemos destacar é que o setor público ainda mantém a tradição em Sergipe, neste segmento econômico, com uma forte participação na economia. Chega-se quase ao mesmo peso de todo o setor industrial, na base de 2011, apresentando um percentual de 27,5%”, explica.
 

PIB
O conceito de PIB, trabalhado pelo IBGE, é com base no total dos bens e serviços produzidos pelas unidades produtoras residentes destinados ao consumo final, sendo, portanto, equivalente à soma dos valores adicionados pelas diversas atividades econômicas acrescida dos impostos, líquidos de subsídios, sobre produtos. O produto interno bruto também é equivalente à soma dos consumos finais de bens e serviços valorados a preço de mercado, sendo, também, equivalente à soma das rendas primárias.

O PIB pode ser expresso por três óticas: a de produção, onde o produto interno bruto é igual ao valor bruto da produção, a preços básicos, menos o consumo intermediário, a preços de consumidor, mais os impostos, líquidos de subsídios, sobre produtos; a da despesa, na qual o produto interno bruto é igual à despesa de consumo das famílias, mais o consumo do governo, mais o consumo das instituições sem fins de lucro a serviço das famílias (consumo final), mais a formação bruta de capital fixo, mais a variação de estoques, mais as exportações de bens e serviços, menos as importações de bens e serviços; e a da renda - o produto interno bruto é igual à remuneração dos empregados, mais o total dos impostos, líquidos de subsídios, sobre a produção e a importação, mais o rendimento misto bruto, mais o excedente operacional bruto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário