quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Max defende a presença de psicólogos e assistentes sociais nos Conselhos Tutelares

“A questão da insegurança vai muito além das ruas. Trabalhar à prevenção é o principal combate à violência”, iniciou assim o seu pronunciamento o vereador Max Prejuízo (PSB) durante o Pequeno Expediente na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), na manhã de ontem, ao defender a necessidade de acompanhamento psicológico e social junto às crianças, adolescentes e respectivos familiares que são atendidos nos Conselhos Tutelares.


 “A população está insegura e a situação está insuportável. A crise que acontece no Cenam, por exemplo, precisa ser tratada como prioridade. Acredito que um trabalho com a assistência social e a psicologia pode prevenir. Os desvios de conduta acontecem nos primeiros anos. Os jovens que estão hoje no Cenam eram crianças de 6 a 10 anos no início da gestão Marcelo Déda. O Governo precisa despertar”, disse Max Prejuízo ao fazer um apelo ao governador em exercício, Jackson Barreto (PMDB), que receba os assistentes sociais para iniciar um processo de negociação.

O parlamentar deu entrada nesta quinta na CMA em Indicação solicitando ao prefeito da capital sergipana, João Alves Filho (DEM), que determine a tomada das medidas administrativas necessárias, por parte da Secretaria da Assistência Social e Cidadania, com vistas à designação de psicólogos e assistentes sociais para atuarem junto a cada Conselho Tutelar do Município, na perspectiva de se garantir uma efetiva melhoria no atendimento dos mesmos.

“Os conselheiros precisam ter uma visão mais ampla. É necessário prevenir, ter compromisso com as crianças e os adolescentes. O Conselho Tutelar pode contribuir muito para que a violência que estamos vendo hoje retroceda”, defendeu Max Prejuízo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário