terça-feira, 8 de outubro de 2013

Eduardo Amorim critica governo em entrevista ao programa “Batalha na TV”

O senador Eduardo Amorim (PSC-SE) participou do programa Batalha na TV, ontem, na TV Cidade. O jornalista Batalha fez um apanhado sobre os últimos acontecimentos na política local que compõe atuações do parlamentar. No primeiro momento, foi justificado pelo senador de que forma foi realizado o convite para a sua pré-candidatura pela nacional. “Também fui pego de surpresa. Não imaginava que teria que dar a resposta tão rápido, já que não tinha conversado nem com a minha família sobre o assunto. Como um bom itabaianense que sou, não fujo dos meus compromissos, abracei o convite e é claro, fiquei muito gratificado”.

O parlamentar falou sobre a situação financeira em que o estado de Sergipe mantém-se. “Só posso classificar como caótico, o tamanho endividamento público mantido. De R$ 800 mi, aumentou em 500% nos últimos quatro a cinco anos”, lamentou Eduardo.

O apresentador Batalha também lembrou em entrevista das agressões voltadas ao senador pelo governador em exercício Jackson Barreto, que segundo ele, discorda ainda sobre a nomeação do senador Eduardo Amorim em ser preguiçoso.

“Achei interessante porque há poucos dias numa entrevista com Eduardo, eu havia comentado que não sabia como ele encontrava tempo para tantos afazeres – passa a semana atuando em Brasília, viaja nos finais de semana por todo Sergipe e ainda encontrava tempo para duas pós-graduações, após, é claro ter concluído sua última graduação em Direito, e a família onde ficava?”, criticou Batalha.

“Isso mostra que o governador em exercício não me conhece e também não conhece as origens do nosso povo que acorda cedo e dorme de madrugada. Ao invés de mostrar propostas e trabalhos realizados, utiliza ainda desta forma antiquada de política, que tenta convencer o povo denegrindo a nossa imagem. É necessário se modernizar, utilizar de uma política honesta. Jamais irei me igualar, esse não é o meu perfil”, acrescentou o senador.

Mais Médicos
“A gente espera é que se faça muito mais, que melhore a saúde pública, segurança, educação. Percebemos que esses três itens de tamanha importância, não seja prioridade do governo, isso de fato é lamentável”, disse o senador que relatou também sobre o programa “Mais Médicos”.

“É necessário buscar Mais Saúde”, assim ironizou, “eu sou a favor sim de mais benefícios para os profissionais da saúde e não apenas aos médicos, eu sou a favor de equipamentos e materiais de trabalho, sou a favor do básico para melhores condições de trabalho para toda essa categoria. O que fazem é utilizar disso infelizmente para esconder todas as mazelas obtidas, já que o discurso se torna frágil quando não tem o que apresentar de melhorias”, pontuou.

Hospital do Câncer
"O dinheiro está lá há quase dois anos, essas pessoas tiveram já muito tempo para elaborar os projetos. Por conta da obra não ter iniciado, com toda certeza já perdemos muito dinheiro. A gente fica até sem graça perante aos ministros que solicitamos e buscamos por tantos recursos e nada iniciou. Volto a questionar o quanto é difícil iniciar e concluir uma obra em nosso estado. É tudo muito burocrático", criticou ainda o parlamentar.



Leia também:




















 

Nenhum comentário:

Postar um comentário