terça-feira, 24 de setembro de 2013

Zoonoses prossegue com vacinação antirrábica

De quarta a sexta-feira, equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria Municipal de Saúde, estarão no bairro Aruana, para vacinar cães e gatos daquela localidade, que inclui Mosqueiro e Santa Maria. A campanha prossegue até o dia 18 de outubro e os resultados parciais mostram que até agora foram vacinados contra raiva 40.925 animais, atingindo 71% da meta prevista, que é de imunizar 57.076 cães e gatos.

Nos dias 30 de setembro e primeiro de outubro, uma equipe da CCZ estará fazendo vacinação no bairro Coqueiral. Em seguida, nos dias 2, 3 e 4 de outubro o CCZ promove vacinações na Aruanda. Roseane Nunes lembra que a campanha vai até o dia 18 de outubro de 2013 e quem não vacinou o animal de estimação pode levá-lo ao CZZ, das 7h às 17h. "Vale ressaltar, também, que a vacina é gratuita", pontuou.

 Nas últimas semanas até o dia 21 de setembro, foram imunizados 30.879 cães e 10.046 felinos. Em Aracaju não foi registrado nenhum caso de raiva em humanos. A doença, também chamada de hidrofobia, é causada por um vírus do gênero Lyssavirus, transmitida via mordedura, lambida ou arranhadura de um animal infectado. O contato com a urina, fezes ou sangue desses indivíduos, embora menos frequentes, são outras formas de contágio, sendo o período de incubação compreendido entre um mês e um ano após a exposição. Apesar de ser associada a cães de rua, a raiva pode ser transmitida por diversos outros mamíferos, como morcegos e macacos, tanto urbanos quanto selvagens.

A doença é caracterizada por sintomas decorrentes da proliferação do vírus no sistema nervoso do indivíduo afetado, via corrente sanguínea. Assim, agressividade, ansiedade, confusão mental, espasmos musculares e convulsões são alguns de seus sintomas. Como a região muscular da orofaringe fica comprometida, a deglutição passa a ser uma tarefa difícil.

O quadro se agrava em pouco tempo, levando o indivíduo a morte em mais de 99% dos casos, se as devidas providências pós-exposição não forem tomadas. Essas incluem lavar bem a região afetada, com água e sabão. E procurar auxílio médico, a fim de ser imunizado com vacina ou imunoglobulina anti-rábica. É necessária, em alguns casos, a administração de soro antitetânico.




Leia também:











 

Nenhum comentário:

Postar um comentário