sábado, 21 de setembro de 2013

SSP prendeu mais de 22 mil pessoas em pouco mais de 4 anos

Os números, que foram divulgados pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Segurança Pública (CEACrim), apontam que no período de 2009 até junho deste ano as polícias Civil e Militar prenderam 22.724 pessoas que estavam em conflito com a Lei.

 
Deste total, 15.342 foram prisões em flagrante. O número de mandados de prisões criminais cumpridos no período chegou a marca de 7.382. Para se ter uma ideia, o número é maior que a população de 55 municípios sergipanos e supera em 8.724 a capacidade total do estádio Lourival Baptista, o Batistão, que é de 14 mil pessoas.

"Os números são interessantes. O registro de prisões em flagrante, por exemplo, antecederam ações criminosas ou diz respeito a casos que acabaram de acontecer. Isso demonstra que em muitos casos a polícia evitou crimes como homicídios, tráfico de drogas ou roubo", comemorou o secretário João Eloy.

A estatística aponta, ainda, que as prisões em flagrante vem crescendo a cada ano. Em 2009 foram registrados 2.677 prisões. No ano seguinte as polícias Militar e Civil efetuaram 3.453 detenções. Já em 2011 os registros chegaram a 3.398 casos. No ano seguinte foi registrado o maior número de prisões da história da SSP com 3.761 detenções. Já nos seis primeiros meses de 2013, a SSP já registrou 2.053 prisões em flagrante.

Em média, a polícia de Sergipe realizou 10,5 prisões por dia nos últimos quatro anos relacionadas aos mais diversos tipos de crime. Somente em 2012 a média diária foi 10,3 prisões por dia. É como se a polícia efetuasse uma prisão a cada 2 horas e 40 minutos.

"Esses dados de prisões diárias é uma demonstração do empenho e dedicação das nossas polícias que diariamente estão nas ruas cumprindo o papel de defender a sociedade sergipana", salientou Eloy.


Para o comandante da Polícia Militar de Sergipe, coronel Maurício Iunes, o grande registro de prisões demonstra o compromisso dos policiais com a sociedade sergipana. "É a prova inequívoca que a polícia tem realizado suas atividades de forma muito eficiente e eficaz. Esse é o compromisso de todos nossos policiais militares com a sociedade sergipana. Temos que enaltecer e a sociedade reconhecer o trabalho desses bravos policiais", destacou Iunes.

Delegacias

O bom relacionamento entre a SSP e a Secretaria de Estado de Justiça (Sejuc), através doDepartamento do Sistema Penitenciário (Desipe), vem contribuindo para que as unidades da Polícia Civil de Sergipe tenham a menor quantidade possível de presos em suas carceragens apesar do grande registro de prisões.

No ano passado, por exemplo, a SSP encaminhou para o sistema prisional 3.210 presos. Hoje as delegacias de polícia de Sergipe custodiam pouco mais de 300 presos.


"Hoje estamos com um contigente bem menor de presos em nossas unidades graças ao bom relacionamento com a Sejuc. No período de 2007 a 2009 as delegacias chegaram a abrigar cerca de 800 presos, mas a situação ainda é preocupante e por questão de segurança abrigamos todo esse pessoal em unidades policiais de Aracaju", detalhou a superintendente da Polícia Civil, delegada Katarina Feitoza.

Ainda segundo Feitoza, a iniciativa de transferência constante de presos para o sistema prisional evita fugas nas delegacias e permite que os policiais se dediquem exclusivamente as tarefas de polícia investigativa ao invés de atuar na guarda de presos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário