quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Jackson Barreto assina contrato de U$ 150 milhões com o Banco Mundial



O Estado de Sergipe vai receber U$ 150 do Banco Mundial (Bird). O contrato foi assinado pelo governador em exercício, Jackson Barreto, e a diretora do Bird para o Brasil, Deborah Wetzel, nesta quarta-feira, 18, em Brasília. "Foi uma grande vitória para nosso Estado, uma iniciativa do Governo Marcelo Déda. Os recursos serão empregados em projetos de políticas públicas para melhorar e ampliar as oportunidades de inclusão social e produtiva da população extremamente pobre e vulnerável. Além de fortalecer o acesso da população aos serviços públicos de qualidade", afirma.

Inclusão social e produtiva

Durante a solenidade, o governador fez questão de lembrar que essa iniciativa é a terceira operação de crédito entre Sergipe e o Bird. “O fundamental é que se trata de uma política pública de Estado para melhorar e ampliar as oportunidades de inclusão social e produtiva da população ", enfatizou.

Os resultados em Sergipe buscando maior igualdade social e redução da pobreza são sólidos. De acordo como IBGE, entre 1980 e 2010, o Estado reduziu em 75% a mortalidade infantil. De 90 a cada mil crianças nascidas vivas, os óbitos caíram para 22,6 por mil. Igualmente expressivo é o contingente de 216 mil famílias sergipanas que deixaram a linha de extrema pobreza - com renda per capita mensal abaixo de R$ 70,00.

Nesta mesma linha de combate à miséria, o Governo de Sergipe vai investir U$ 28,04 milhões no Baixo São Francisco, a região mais pobre do estado. Com parte dos recursos captada junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (Fida), o projeto destina-se à erradicação da pobreza rural entre os pequenos produtos.

Equilíbrio social e financeiro
Jackson lembrou que o novo aporte financeiro vai atender, entre outros, o serviço de saúde materno-infantil, a gestão da educação, os arranjos produtivos e a agricultura familiar."É preciso promover o equilíbrio social. E, para isto, precisamos melhorar a qualidade de vida da população, tirando da situação de extrema pobreza", disse.

O novo contrato com o Bird foi possível graças ao equilíbrio financeiro do Governo de Sergipe, conforme atestou a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Para avalizar o contrato, a PGFN fez um diagnóstico do Estado que, depois, foi ratificado pelo Banco Mundial.

Ao destacar que o objetivo do Bird é eliminar a extrema pobreza no mundo, Deborah Wetzel informou que o Brasil é um exemplo para o mundo. Segundo ela, o País é um dos poucos do mundo que consegue aliar a redução da desigualdade com o crescimento econômico.

Foco nos mais pobres

Para a diretoria, este contrato irá contribuir de maneira substancial ao alívio da pobreza e melhora nas condições de vida da população sergipana. Os objetivos do Programa de Políticas de Desenvolvimento de Sergipe recém-assinado são: a promoção do desenvolvimento socioeconômico com crescimento inclusivo; a consolidação da gestão fiscal e das inovações na gestão pública e a promoção da melhoria do acesso e da qualidade de serviços públicos.

"Com estas políticas, inclusão social e produtiva da população extremamente pobre e vulnerável, nós vamos mudar a feição de nosso Estado e melhorar a qualidade de vida da população. Esse é o foco do Governo Marcelo Déda e sempre foi o pensamento da gestão do governador em exercício Jackson Barreto. Cuidar do Estado, mas ter como foco os mais pobres é o que a população espera de nós ", enfatizou Jackson Barreto.

Na solenidade de assinatura do contrato, Jackson Barreto foi assessorado pelo secretário de Fazenda, Jeferson Passos. A PGFN foi representada pela procuradora Sônia Portela. O senador Antonio Carlos Valadares também prestigiou o evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário