quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Deputados e senador sergipano respondem a ações penais ou inquéritos no STF


Por MAX AUGUSTO 
 
De acordo com levantamento realizado pela revista Congresso em Foco, nunca houve tantos senadores e deputados federais brasileiros envolvidos em problemas com a Justiça. De acordo com a reportagem, de cada dez parlamentares, quatro estão “pendurados” no Supremo Tribunal Federal (STF), por suspeita de participação em crimes. Três sergipanos foram citados, por responderem a processos ou inquéritos que tramitam no STF: o senador Eduardo Amorim (PSC) e os deputados federais Rogério Carvalho (PT) e André Moura (PSC) – o parlamentar “campeão” sergipano de problemas com a Justiça.



O Senador Eduardo Amorim responde ao Inquérito 2867, por improbidade administrativa e crimes da Lei de Licitações. A reportagem diz que entrou em contato com ele, mas não houve esclarecimentos. O deputado Rogério Carvalho responde aos Inquéritos 3335, 3522 e 3624, por falsidade ideológica, crimes da lei de licitações e de responsabilidade. Na matéria não constam explicações de Rogério.



Já o deputado federal André Moura (PSC) é o recordista entre os sergipanos: responde aos inquéritos 3110 (crimes eleitorais); 3224 (crimes de responsabilidade, formação de quadrilha); 3221 (crimes de responsabilidade), 3204 (formação de quadrilha, improbidade administrativa), 3516 (crimes de responsabilidade) e 3594 (crimes da Lei de Licitações e peculato).



Segundo a reportagem da revista Congresso em Foco, a assessoria de André Moura explicou que todos os inquéritos estão em fase inicial. “Portanto, não há qualquer indiciamento ou oferecimento de denúncia, que, porventura, poderia caracterizar algum ilícito penal”, diz o texto enviado.

Processos

O texto publicado pela revista Congresso em Foco afirma que hoje 224 deputados federais e senadores que respondem a 542 inquéritos e ações penais, o que representa um recorde, desde que o Congresso em Foco começou a fazer esse tipo de pesquisa, em março de 2004.

“O número supera em 17% o total de congressistas apurado em nosso levantamento anterior, publicado na terceira edição da revista, em junho do ano passado. Na época, 191 parlamentares estavam sob investigação no Supremo, único foro competente para julgar crimes cometidos por deputados, senadores e outras autoridades”, explica a reportagem.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e os deputados Paulo César Quartiero (DEM-RR) e Lira Maia (DEM-PA) são os parlamentares com mais pendências no STF atualmente. Cada um deles é alvo de 13 acusações, considerando ações penais e inquéritos. A bancada federal de sete estados – Acre, Alagoas, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondôni a e Roraima – tem mais da metade de seus integrantes sob suspeita. No caso do Mato Grosso, 91% dos parlamentares aguardam julgamento de ações ou inquéritos no Supremo. 



LEIA TAMBÉM:


















 

Nenhum comentário:

Postar um comentário