quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Projeto de Max Prejuízo que obriga educação física nas escolas é aprovado por unanimidade




Foi colocado em votação durante a Sessão desta quinta-feira, 29/8, na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), o Projeto de Lei de n°119/2013, de autoria do vereador Max Prejuízo (PSB), que dispões sobre o ensino de Educação Física nas escolas públicas e privadas do Sistema Municipal de Educação e a obrigatoriedade da formação em curso superior de Educação Física para os professores da disciplina, na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio do Município.



O vereador Max Prejuízo utilizou a Tribuna durante o Grande Expediente para pedir o apoio dos demais parlamentares e falar dos benefícios que a implantação desse projeto trará para as crianças. "Peço aos demais vereadores que façam uma reflexão, reconheçam o profissional de educação física e a necessidade de uma educação física assistida por profissionais no ensino polivalente, do 1° ao 5° ano. Este projeto pretende preencher uma lacuna na formação escolar das crianças. Por meio desta disciplina e sob a orientação de profissionais, as crianças e os jovens aprendem e se preparam para desenvolver as habilidades de ser, conviver, conhecer e fazer, exatamente os quatros pilares que dão base ao ensino. A educação física é uma complementação da educação escolar", defendeu assim Max Prejuízo, o seu projeto.



Apoio

Em a parte, ainda durante o Grande Expediente, os vereadores Dr. Agnaldo (PR), Anderson de Tuca (PRTB), Lucas Aribé (PSB), Emmanuel Nascimento (PT), Jailton Santana (PSC), Agamenon Sobral (PP), Dr. Manuel Marcos (DEM), Robson Viana (PMDB), Daniela Fortes (PR) e Pr. Roberto Morais (PR), manifestaram apoio e subscreveram o projeto de Max Prejuízo.



Para Dr. Agnaldo o PL 110/2013 é importante "inclusive em termos de saúde. É necessário nós termos profissionais habilitados, com nível superior, para assistir nossos alunos. Não entendo crianças e jovens serem instruídos por pessoas que não sejam habilitadas", disse. Já o vereador Anderson de Tuca entende que, "além do preparo físico, a educação física é uma forma de afastar as crianças do caminho das drogas".



CREF

O presidente do Conselho Regional de Educação Física de Sergipe (CREF/SE), Gilson Dória, presente durante a sessão desta quarta-feira, disse que "esse projeto representa o resgate da cultura da educação física nas escolas. Os índices tem mostrado que a retirada do profissional de educação física das escolas nas primeiras séries tem trazido dificuldades para as crianças que apresentam problemas de obesidade infantil, coordenação motora, desempenho escolar e de saúde. Essa proposta de retorno da educação física nas escolas irá proporcionar, além da questão educacional, qualidade de vida. Esse projeto é um divisor de águas pois não existe educação sem educação física. Sem essa atividade a educação estava incompleta".



Custódio Santana, vice-presidente do CREF/SE, afirma que esse projeto do vereador Max "é de grande importância, pois além de valorizar o profissional de educação física, vai suprir a necessidade das escolas que hoje utilizam o próprio professor da sala de aula para esse fim".



Aprovado

O PL119/2013, que usou como justificativa a inatividade motora das crianças  e o sedentarismo dos adultos que tem levado grande número de crianças ao mesmo vício, o da imobilidade, foi votado em regime de urgência e aprovado por unanimidade nas três votações e em sua redação final, passando a entrar em vigor após a sanção do Executivo Municipal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário