terça-feira, 20 de agosto de 2013

Pastor Roberto quer vereadores fiscalizando as feiras

O vereador pastor Roberto Morais fez uso da Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) durante o Pequeno Expediente da sessão plenária dessa terça-feira, 20, com o intuito de reforçar o convite aos demais vereadores para que, juntos, possam fiscalizar as feiras livres de Aracaju. 


"Estaremos cumprindo o nosso papel de fiscalizadores. Nessa sexta, a partir das 7 horas, estarei no mercado Albano Franco verificando os problemas daquele local", avisa Roberto Morais. O parlamentar disse ainda que, em seguida, após a realização de algumas visitas, procurará a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para que apresentar relatórios e cobrar soluções.

INFANTICÍDIO
Também na tribuna, o pastor Roberto Morais apresentou uma Moção de Repúdio à Maria Augusta Boulitreau Assirati, presidente interina da Fundação Nacional do Índio (Funai) sobre o infanticídio apoiado pela instituição. "A Funai está contagiada com esse relativismo cultural que coloca o genocídio de crianças como uma prática correta, natural. E isso é inadmissível", argumentou o vereador.

O infanticídio foi discutido na CMA na sessão do último dia 13 depois que o pastor Roberto Morais expôs um vídeo de uma criança sendo enterrada viva pelo pai em uma tribo indígena da Amazônia. 

"A cada ano centenas de crianças são enterradas vivas. Isso acontece em nome de uma cultura. Mas nenhuma cultura pode interferir na vida", exclamou o vereador Roberto na ocasião. 

Roberto Morais disse ainda que a Funai tenta, inclusive, impedir a ação missionária nas tribos indígenas que praticam o infanticídio e isso não pode ser aceito. "Temos que acabar com essa prática criminosa. A Funai alega que é preciso preservar a cultura. Mas é a vida que deve ser preservada", clamou o parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário