quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Desigualdade social cai em 73% dos municípios de Sergipe em uma década

Nos últimos dez anos, Sergipe conseguiu diminuir a diferença entre ricos e pobres em 73% de seus municípios. É o que aponta análise do Observatório de Sergipe, da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), com base nos dados do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil de 2013, divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

De acordo com o estudo, 55 municípios sergipanos reduziram a desigualdade entre 2000 e 2010. Isso equivale a 73% dos municípios do Estado. Destes municípios, 23 (42%) tiveram redução superior a 10% em relação ao ano de 2000. Segundo Marcel Resende, superintendente de Estudos e Pesquisas da Seplag, a maior queda da desigualdade aconteceu no município de Frei Paulo, no território Agreste Central.

“Este município viu seu índice de Gini cair de 0,62 em 2000 para 0,48, uma redução de 22,58%. A escala varia de zero a 1. Isso significa que se os 13.854 mil moradores de Frei Paulo tivessem uma renda igual, o índice seria 0. Se um deles concentrasse toda a renda da cidade, o Gini seria 1. Pinhão e Ribeirópolis, também localizados no Agreste Central, obtiveram a segunda e terceira maior redução da desigualdade com -20,75% e -19,64%, respectivamente. Inclusive, dos dez municípios com maior redução da desigualdade, segundo o índice de Gini, cinco são do território Agreste Central”, explica Marcel Resende.

Colocações
Entre os 55 municípios que registraram redução da desigualdade, Aracaju foi o último colocado, com uma redução equivalente a 1,59% do Índice de Gini na última década. Além dele, Tobias Barreto (-1,79%), Carmópolis (-1,79%), Campo do Brito (-1,82%) e Brejo Grande (-1,92%), tiveram os menores aumentos percentuais do Índice de Gini.

“Sete municípios de Sergipe (cerca de 9% do total) mantiveram o mesmo valor do Índice de Gini: Aquidabã, Canhoba, Gararu, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora do Socorro e Riachão do Dantas. Analisando os dados do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil de 2013, é possível observar que 13 municípios sergipanos (cerca de 17% do total de municípios) aumentaram seus índices de Gini, ou seja, aumentaram a desigualdade entre seus habitantes”, ressalta Márcio Reis, diretor de Geografia e Cartografia da Seplag,

O município de Pedra Mole, no Agreste Central, foi o que apresentou maior aumento (acima de 17%) do Índice de Gini, passando de 0,46 em 2000 para 0,54 em 2010. Na sequência, aparecem os municípios de Cedro de São João, Baixo São Francisco, com 12,77% a mais, Graccho Cardoso, 12%, Cumbe, 11,36% e Santa Luzia do Itanhy com 10,42%, fechando a lista dos cinco municípios com maiores aumentos percentuais da desigualdade no estado de Sergipe.




Leia também:













CPI da Telefonia quer proibir venda de celulares 

Nenhum comentário:

Postar um comentário