sexta-feira, 26 de julho de 2013

Sílvio defende que PT lance candidato ao Senado

"Vislumbramos uma aliança com PMDB no governo, PSD como vice e PT no Senado, esse é um projeto em discussão", disse o secretário de Estado da Casa Civil, Sílvio Santos (PT), em entrevista concedida no NosnoCabaré.com.Convidados – tradicional encontro de jornalistas e autoridades. Pela terceira vez participando do bate-papo, Sìlvio confirmou ainda que pretende ser candidato a deputado estadual.


O secretário destacou a inclusão de pessoas na vida econômica, devido aos programas de distribuição de renda do poder do Executivo Federal implantados desde o governo Lula e comentou as manifestações nacionais ocorridas em junho, além do cenário político local.

Exaltando os incentivos fiscais dados pelos governos petistas (federal e estadual), Sílvio Santos acredita serem esses os fatores responsáveis por Sergipe ser um dos maiores produtores de milho do Nordeste brasileiro. Além disso, segundo ele, houve um do crescimento da indústria sergipana, que gerou também inclusão social e aumento de renda das camadas mais pobres da população.

Entretanto, o secretário acredita que pode ser feito ainda muito mais, haja vista os pedidos generalizados da população que foi às ruas reivindicar melhorias na Saúde, Transporte e Educação. "É preciso que os governos reflitam e produzam mais recursos para fazerem frente a essas demandas", falou.

Alianças
Sìlvio Santos também comentou as especulações na imprensa sergipana, sobre uma possível ruptura entre o PT, partido do governador Marcelo Deda, e o PMDB governador em exercício, Jackson Barreto - que estaria costurando nos bastidores, em conversas com deputados oposicionistas, a possibilidade de maioria na Assembleia Legislativa. 

Silvio Santos negou a possibilidade de racha e apontou para uma possível composição com o PSD e o PMDB para as eleições de 2014. "Vislumbramos uma aliança com PMDB no governo, PSD como vice e PT no senado, mas ainda não há nada garantido". 



Se haverá ou não uma aliança com o DEM ou PSC, Sílvio Santos descartou a primeira hipótese."Nossos aliados são livres para escolher o que melhor lhes aprouver; historicamente nós somos contrários ao DEM e não faremos parte da composição, mas o PSC é aliado nacional e na política local tudo pode acontecer", fustigou.

Conhecido por ser um homem de unidade e nunca ter ido contra as diretrizes partidárias, Sílvio Santos, apesar dos boatos de atritos com o correligionário, deputado federal e Rogério Carvalho, esquivou-se e disse ser um homem de construção partidária que não gosta de enfrentamentos. "Se eu não servir para aglutinar não faço parte da disputa. Não podemos perder de vista a unidade, mesmo que haja divergências internas, o que é normal", declarou.


Leia também:



















TCE condena ex-prefeito de Areia Branca a ressarcir o erário em R$124mil

Nenhum comentário:

Postar um comentário