quarta-feira, 31 de julho de 2013

Jackson e Dom Henrique discutem restauração da Catedral de Aracaju

O encaminhamento da obra de restauração da Catedral Metropolitana da Aracaju motivou a reunião ocorrida na tarde de ontem, dia 30, quando o governador em exercício, Jackson Barreto, recebeu em seu gabinete, no Palácio de Veraneio, o bispo auxiliar de Aracaju, Dom Henrique Soares da Costa.

No encontro também estiveram entre os presentes o Subsecretário do Patrimônio Histórico e 
Cultural (Subpac), Luiz Alberto dos Santos, e a representante da MRM Construtora – empresa responsável pela obra, Cristiane Luchese.

"Foi uma reunião de trabalho para fazer uma avaliação sobre o andamento das obras da reforma da nossa catedral. Fizemos uma avaliação, tanto do ponto de vista do andamento como do reforço de caixa para continuidade porque aparentemente a sociedade não está vendo a reforma, mas ela está acontecendo com os projetos que estão sendo executados", colocou Jackson.

Conforme o governador em exercício, a expectativa é que já no próximo mês de setembro a obra possa ser visualizada pela população. "Foi uma reunião de avaliação do andamento já que, apesar de a sociedade não estar vendo, ela está acontecendo", concluiu.

Da mesma forma avaliou o bispo auxiliar da capital, Dom Henrique: "Estamos fazendo uma avaliação de como estão encaminhando os procedimentos do projeto de restauração da catedral porque ainda não apareceu nada, mas os trabalhos estão sendo feitos, primeiro com toda a parte de projetos, que demanda tempo, dinheiro e organização".

Doação
No último mês de agosto o Governo anunciou que o Banco do Estado de Sergipe (Banese) doaria R$ 1 milhão para a obra de restauração da Catedral Metropolitana de Aracaju. A contribuição foi anunciada durante reunião do governador Marcelo Déda com a presidente do Banese, Vera Lúcia, o vice-governador Jackson Barreto, o arcebispo da capital, Dom José Palmeira Lessa, e o arcebispo auxiliar, Dom Henrique.

Além de simbolizar a religiosidade da população, a Catedral é um prédio que referencia o crescimento urbano e cultural da cidade, já que foi uma das primeiras edificações construídas no Centro de Aracaju. A doação do Banese representa 25% do valor da restauração, orçada em R$ 4 milhões.

ASN



Leia mais:













 

Nenhum comentário:

Postar um comentário