segunda-feira, 8 de julho de 2013

COLUNÃO - Último round


COLUNÃO | Ivan Valença
                       com Max Augusto (colaborador)

                       maxjornalista@gmail.com



Último round

A inflação anualizada mais uma vez superou o teto da meta de 6,5%, estabelecida pelo Banco Central. Bateu na casa de 6,7%, de acordo com os dados do IBGE. Sem dúvida, a escalada dos preços é uma das causas das manifestações que têm ocorrendo em todo o país. Crescimento pífio e inflação em disparada é uma combinação explosiva que exige medidas imediatas.


Para o ex-governador Albano Franco, que integra o Conselho Superior de Economia da Fiesp, a batalha pelo crescimento está praticamente perdida, já que a equivocada política econômica de estímulo ao consumo não logrou os resultados esperados pelo governo que triunfalisticamente estimava o crescimento do PIB superior a 4% ao ano.


Sem investimento o país não cresce, sentenciou o dr. Albano, acrescentando que, se tudo der certo e se os investidores realmente se interessarem, o último round da luta do governo da presidente Dilma Rousseff para colocar o país na trajetória do crescimento ocorrerá nos próximos meses com os leilões visando as concessões e privatizações de portos, aeroportos, rodovias, ferrovias, trem de alta velocidade – TAV, etc, ou seja o Brasil precisa urgentemente investir na infraestrutura para dinamizar as atividades econômicas, reduzir o Custo Brasil e elevar a competitividade da economia brasileira.


Quanto à inflação, o ex-governador lamenta que o maior legado das reformas econômicas encetadas no governo FHC, que foi a estabilidade, não fosse tratada com o devido cuidado logo no início do atual governo. Agora, com a disparada dos preços, serão necessárias medidas duras de austeridade como a elevação dos juros e forte redução nos gastos públicos. Terá o governo condições políticas e a credibilidade necessária para adotar tais medidas num momento de elevadas tensões sociopolíticas, por conta dos protestos da população por melhores serviços públicos?




Não precisa mais

Gasta-se muita saliva no momento para que se deslanche uma consulta popular para acalmar as vozes das ruas. O tema seria reforma política. Ora, há mais de 20 anos discute-se a questão no país e ela nunca avança em função de sua complexidade. Como então querer levar o povão ao centro desta discussão, mediante 5 ou 6 perguntas a serem respondidas no plebiscito.


Para mostrar boa vontade com as manifestações populares, bastaria a presidente Dilma tomar, logo agora, uma só medida: reduzir o número de ministérios. São 39 ministérios, mais 5 secretarias com status de ministérios. A economia que o país faria com essa redução, daria para atender muitas outras reivindicações. O próprio ex-presidente Lula já teria sugerido à presidente o enxugamento destes ministérios. Lula começou governando com 24 pastas, chegou a 37. Mas, aí vem a questão principal: como a sucessão vai ser tratada com muita gente (do PMDB, principalmente) fora da boquinha?

Não é preciso consulta popular coisa nenhuma. Basta reduzir os ministérios... Só isso.



Posse no Rotary

Foi uma festa bonita a de 3ª a noite, no Hotel Mercure, para a posse dos presidentes e dos conselhos diretores do ano rotário 2013/14 dos Rotarys Clubs de Aracaju-Norte, Aracaju, Aracaju Nova Geração, Aracaju Siqueira Campos e do Rotaract. A solenidade contou com a presença do governador eleito do Distrito 4390, Carlos Antônio de Moraes Lucena e sua esposa, Tereza Cristina. O governo do Estado foi representado pelo Secretário da Agricultura, José Macedo Sobral enquanto o sub-procurador do Município, Ramon Rocha Santos, representou o prefeito de Aracaju. O governador eleito, Carlos Antônio de Moraes Lucena, tomou posse na Governadoria do Distrito 4390, na noite de ontem, na cidade de Feira de Santana.



Mil feirantes

Um termo de cooperação técnica assinado pelo Sebrae e a Fundat permitirá que mil feirantes da Capital sejam capacitados gratuitamente na área de segurança alimentar e recebam orientação sobre empreendedorismo. As capacitações irão beneficiar, a partir de agosto, os trabalhadores que atuam em 32 feiras livres e no mercados de Aracaju. “O curso terá uma carga horária de 11 horas/aula e será disponibilizado por meio de 40 turmas. A iniciativa faz parte do Programa Alimentos Seguros, desenvolvido pelas entidades do Sistema S, informa o superintendente do Sebrae, Lauro Vasconcelos.



Velho do Restelo

Pouca gente deve ter percebido, mas a presidente Dilma Rousseff (PT) andou se inspirando nos belos e literatos discursos do governador Marcelo Déda (PT). No dia 29 de janeiro a presidente esteve em Sergipe, no município de Indiaroba, para inaugurar a ponte Gilberto Amado. Na ocasião, ela ouviu Déda discursar, elogiando os cortes na tarifa de energia, quando citou um trecho de Os Lusíadas, de Camões: "Os que são contra o corte na tarifa da luz são como o Velho do Restelo, que via as naus portuguesas partirem para as índias e dizia: 'Vai dar errado”. 

Veja o caro leitor que no último dia 12 de junho, durante cerimônia do anúncio de crédito para compra de móveis e eletrodomésticos para os beneficiários do Minha Casa, Minha Vida, Dilma se referiu à mesma passagem, gerando comentários em toda a imprensa. Avaliando críticas sobre os índices de inflação, a presidente considerou que alguns oposicionistas agiam como o personagem do romance: “Esse velho ficava sentado na praia azarando. O velho dizia o seguinte: ‘Não vai dar certo, não vai dar certo’. É um personagem que encontra eco através da história. Muitos Velhos do Restelo apareceram nas margens das nossas praias. Hoje, o Velho do Restelo não pode, não deve e, eu asseguro para vocês, não terá a última palavra no Brasil." A citação chamou atenção e praticamente não houve um colunista que não comentasse a momentânea verve literária da companheira.



Sem militância

Em conversa com a coluna, um antigo militante das fileiras do Partido dos Trabalhadores avalia que o PT deveria aproveitar esse momento de agitação popular, para se reformar, mudar algumas posturas e retornar um pouco às suas origens. Segundo ele, muitos companheiros “das antigas” não estão sendo ouvidos. Preferindo não se identificar, o petista reclama que lideranças como os deputados federais Márcio Macêdo e Rogério Carvalho (PT) filiam pessoas que nada têm a ver com a ideologia do partido, e que só ingressam nas fileiras vermelhas porque o grupo está no poder. 

“Eles levaram para o PT gente que poderia facilmente estar com o DEM ou PSC”, afirmou. Outra avaliação dura do rapaz: Rogério Carvalho e Márcio Macêdo não dão ouvidos aos petistas porque não precisam mais do voto da militância. “Eles se elegem graças a acertos políticos com prefeitos e lideranças. E a maioria destes acertos são feitos da mesma forma que os deputados de partidos da direita trabalham”, diz o rapaz.



Pela culatra

O ex-candidato a vereador, Araripe Coutinho (PR), acha que o deputado federal Marco Feliciano deu mais um tiro pela culatra.  A Câmara dos Deputados aprovou por votação simbólica requerimento do deputado João Campos (PSDB-GO), autor do projeto que autorizava a “cura gay”, para que o texto fosse retirado de tramitação. A proposta permitia o tratamento por psicólogos de pacientes que quisessem "reverter" a homossexualidade. Segundo Araripe, com a retirada de pauta, um projeto com o mesmo teor só poderá voltar a ser apresentado em 2014. Se o projeto tivesse sido votado e rejeitado pela maioria dos deputados, um texto semelhante só poderia ser protocolado na próxima legislatura, a partir de 2015. No último dia 18, o projeto tinha sido aprovado na Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Para Araripe "Feliciano é sim um caso de aberração política. Num país sério ele não presidiria nem uma comissão de privadas. Tudo que vem dali fede, cheira mal. É uma pena que o judiciário não o interpele e mantenha o animal solto, fora das grades.

O poeta e político ataca também o pastor Silas Malafaia, a quem chama de anti-cristo.
Coutinho acredita que vivemos uma época escura. “Religião é pessoal, cada um tem a sua. Deus é sutil. Não trabalha com ricos pastores com toga de juiz. Essas pessoas são os Hitlers do novo milênio, mas serão vencidos e desmascarados em breve", finalizou Araripe.



Avaliação

Na próxima sexta-feira, dia 12, o vereador Max Prejuízo pretende reunir lideranças populares e moradores do conjunto Augusto Franco para fazer uma avaliação do seu mandato. O debate vai acontecer na Casa Cultural do conjunto. Max acha que seis meses após chegar à Câmara Municipal de Aracaju, é hora de fazer uma avaliação, ouvindo seus eleitores e cidadãos que tem acompanhado seus trabalhos pelas redes sociais e pela imprensa.

Max diz que no primeiro semestre focou seu trabalho nas questões do transporte, mobilidade urbana, Saúde e nas demandas do Augusto Franco, sua maior base eleitoral.

Criador da frente parlamentar pelo transporte público, o vereador tem defendido a licitação no setor. Na Saúde, ele tem acompanhado pessoalmente os problemas nas UPA’s, denunciando que além da falta de medicamentos e materiais básicos, a ausência de médicos nos plantões é um dos principais problemas. Para resolver isso ele defende que a escala com o nome dos profissionais seja divulgada.

Max garante que tem boas novidades para o seu bairro: Em conversa com o prefeito João Alves Filho (DEM), o vereador recebeu a garantia de que até o dia 30 de setembro estarão concluídas as obras do mercado. Segundo o parlamentarm, João também assumiu o compromisso de resolver o problema dos moradores da invasão do recanto dos manguezais. Além disso, ele visitou o deputado federal Valadares Filho (PSB), que garantiu recursos para as obras na avenida Canal 5.



PC do B 1

O ex-secretário de Educação do município de Aracaju, Antônio Bitencourt, pode assumir o comando do PC do B em Sergipe. Em conversa com a coluna ele disse que não há nada definido, mas o tema está sendo discutido. Bitencourt defende que seja escolhido um nome de consenso – podendo inclusive abrir mão do comando, caso surja um nome que aglutine mais - Ele acha que o processo de escolha do comando do partido não deve ser uma imposição. O ex-secretário possui divergências com setores da sigla, mas se relaciona bem com a maior parte dos comunistas – principalmente com a cúpula.



PC do B 2

A chegada do professor ao Bittencourt pode representar uma guinada à esquerda nos rumos do PC do B. Isso porque ele defende a retomada do diálogo com outros partidos da esquerda, como o PSTU, Psol e PCB – da mesma forma que a deputada estadual Ana Lúcia propôs ao PT. “O nosso partido como esquerda, se distanciou um pouco das bases sociais, e não existe partido de esquerda sem isso. Precisamos de uma relação com mais força, sobretudo no momento atual, que pede mais participação no movimento popular”, disse ele.

O professor acha que partidos como o PT e PC do B precisam reavaliar sua postura: “Na prática, precisamos estar mais próximos do que dizemos. Não dá para ter uma realidade distante do que a gente pregou. Muitos partidos de esquerda, quando chegaram ao poder, não compreenderam o papel dos movimentos sociais, e estes não souberam se comunicar nesta nova relação, com a esquerda no poder. Precisamos avaliar isso”, disse o comunista.



PONTO FINAL

*** “Aos Ventos Que Virão”, o filme que Hermano Pena rodou no alto sertão sergipano, estreia em Aracaju na próxima 4ª feira. Chamo a atenção para o papel que o jornalista e teatrólogo consagrado, Vieira Neto, faz no filme. É um show à parte...



Nenhum comentário:

Postar um comentário