terça-feira, 2 de julho de 2013

Antônio Passos defende com fim das coligações para eleições proporcionais

A necessidade da reforma política no país foi o tema do pronunciamento do deputado Antônio Passos (DEM) na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira, dia 2. O parlamentar disse que tem ouvido insistentemente pela televisão que a Presidência da República tem interesse na reforma política. Para ele, este é um tema que já deveria ter sido discutido há mais tempo.
“Desde quando ela [Dilma Rousseff] tomou posse esse tema já deveria estar na pauta do Congresso Nacional e a esta altura já teríamos a legislação para a eleição do próximo ano ou outras modificações”, avaliou o democrata. Mas Passos acrescentou que reforma política não é diz respeito apenas à eleição. Vários outros temas estão incluídos nela, como a constituição dos partidos e uma série de inovações.

Segundo o deputado Antônio Passos, como as pessoas foram às ruas e nas manifestações a população pede que a reforma política seja feita, a Presidência propõe agora uma reforma via consulta à população. Para ele, nada mais democrático que esta consulta. “Mas vamos ter um plebiscito ou uma consulta e isso é independente do Congresso Nacional”.

O deputado disse que há anos que o Brasil vem cobrando este tema. Ele lembrou que desde a Proclamação da República houve uma luta para naquela época ser instituído o voto distrital. “No início da República tinha sempre os que gostavam de seguir as orientações dos Estados Unidos da América, tanto que essa corrente conseguiu colocar o nome da nossa República como República dos Estados Unidos do Brasil. E dentro desse tema não conseguiram naquele tempo aprovar o voto distrital. Mas conseguimos o voto proporcional”, historiou.

Mas, na avaliação de Antônio Passos, com o surgimento de diversos partidos políticos e o voto proporcional se cria uma anomalia. “Porque temos diversos partidos políticos e na hora das convenções vêm as coligações. Quem se preparou por uma forma nem sempre consegue agregar partidos para a sua coligação. Eu acho que numa eleição proporcional deveríamos acabar com essa história de coligações para o Parlamento. O partido que se estruture para que chegue aqui na Assembleia ou na Câmara Federal com sua representação daquilo que o povo acha que seu partido vale para nosso país”, declarou Antônio Passos.

Leia também:

 

Em Sergipe: PF deflagra operação para desarticular desvio de dinheiro público

 

Para especialistas, reforma política deve se concentrar nos sistemas partidário e eleitoral

 

Relator da reforma política sugere perguntas para plebiscito

 

Congresso recebe mensagem presidencial sobre plebiscito

 

Velho Chico: Mais uma Audiência discute invasões às margens do Rio

 

Antônio Passos defende com fim das coligações para eleições proporcionais

 

Augusto Bezerra: intervenção no Huse deve melhorar a saúde em Sergipe

 

Jackson se reúne com diretor da Vale e discute projeto Carnalita

 

COLUNÃO | MAX AUGUSTO - QUE PEC É ESSA?

Nenhum comentário:

Postar um comentário