quinta-feira, 18 de julho de 2013

André Moura diz que há aumento da violência em Sergipe


Em discurso na Câmara Federal o deputado André Moura (PSC) afirmou que há um aumento da violência em Sergipe. Ele apresentou várias manchetes dos principais jornais do estado, demonstrando o que seria um demonstrativo da falta de segurança pública. "Sergipe é o estado com uma das menores populações do Brasil, obviamente poderia garantir o mínimo de tranquilidade ao cidadão, com mais policiais nas ruas, delegacias estruturadas e condições dignas para os servidores que desempenham a função de garantir segurança à sociedade sergipana", ressaltou Moura.


A imprensa local apresenta diariamente manchetes que retratam o que André classificou como má gestão do Governo de Sergipe em conceder o mínimo do direito exigido na CF/88 para o que o cidadão tenha o bem maior preservado, a vida. “Não importa onde esteja a notícia, se nos jornais impressos ou na internet, como diz o adágio popular, se espremer, teremos apenas sangue nas mãos”, afirmou o sergipano.



Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública apontam Sergipe como o sexto lugar mais violento do país em 2012. Moura lembrou que sem concursos públicos para o aumento do efetivo das polícias e infraestrutura necessária o secretário João Eloy, titular da SSP/SE, jamais conseguirá um nível de excelência desejado.



“Sergipe é um local sem lei, onde os marginais estão tomando as ruas, a ineficiência administrativa do Estado faz com que o cidadão tenha que criar mecanismos de defesas para proteger a família e os bens conquistados. A vida tem sido banalizada pelos que com armas em punho praticam homicídios diariamente”, alertou.



Ainda segundo Moura a temerária situação da violência decorre da falta de ação do Governo Estadual, que não planeja, gasta mal os poucos recursos de que dispõe e não se utiliza da vantagem de integrar o partido da presidente da República para reverter o quadro. "Além disso, crianças e adolescentes não têm políticas especificas para a diminuição da delinquência e os idosos vivem sem delegacia específica para atendimento e sem proteção alguma do poder público", disse o deputado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário