quarta-feira, 26 de junho de 2013

PSTU exige a revogação do aumento da passagem



Partido emite nota exigindo que o prefeito João Alves Filho (DEM) revogue o aumento da tarifa do transporte público, informa que apoia e é parte dos protestos de rua, mas condena os ataques aos prédios públicos.


O PSTU exige que o prefeito João Alves Filho (DEM) atenda o anseio da população aracajuana e revogue o aumento do preço da passagem. Temos a segunda tarifa mais cara do nordeste e o serviço prestado à população é de péssima qualidade. O povo sofre todos os dias nos terminais, nas paradas, devido à longa espera. Sofre dentro dos ônibus com a superlotação. Os ônibus são velhos, sujos, sem as mínimas condições de uso. Em contrapartida, as empresas estão preocupadas apenas com o lucro, é nítido o descaso com a população. Por isso, milhares tem ido às ruas. É necessário que grito desses milhares seja atendido imediatamente pelo prefeito.

A redução da passagem em R$0,10 não atende a reivindicação. Os manifestantes gritam nas ruas: “Se João não revogar a cidade vai parar”. É isso que tem ocorrido, Aracaju tem parado com os protestos. Reduzir em R$0,10 é no mínimo uma ofensa aos aracajuanos. Os prefeitos das principais cidades do país voltaram atrás no aumento da tarifa, porém, o prefeito de Aracaju vai na contramão desse processo, pois mantém o reajuste da tarifa de R$2,25 para R$2,35.

As mobilizações refletem que o atual modelo de transporte público, gerenciado por empresas privadas, não consegue garantir um serviço que é básico à população. Enquanto este serviço essencial for visto como fonte de lucro para meia dúzia de empresários, a qualidade do serviço não será prioridade. O PSTU defende que este serviço seja uma responsabilidade da prefeitura e do governo do estado, somente assim teremos um serviço onde seu objetivo central é atender a população e não de obter lucro. 

Com o serviço estatizado será possível garantir passe livre aos estudantes e desempregados, cobrar dos usuários uma tarifa social, garantir melhores condições de trabalho e salários aos trabalhadores do transporte. Na terça-feira, 25/06, a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás aprovou o passe livre para estudantes da rede pública e privada de ensino, uma medida importante que deve ser adotada em outros estados.

Mas os gritos das ruas exigem mais que a melhoria no transporte público. As reivindicações são muitas. Em defesa da saúde e da educação pública. Questionamento aos excessivos gastos com a Copa do Mundo de Futebol. Contra a corrupção que desvia dinheiro que deveriam ser aplicados na melhoria dos serviços públicos. O povo quer mudar o país!
Apoio aos protestos e repúdio a ataque aos prédios públicos.

O PSTU apoia os protestos e convoca os trabalhadores e a juventude aracajuana às ruas. Todos os direitos obtidos até hoje foram conquistados com muita mobilização, protestos e atos de rua. Os levantes que estão ocorrendo no país e no mundo são muito importantes porque exigem mudanças nos países. A juventude tem sido a porta voz desses protestos que questionam a precarização da vida impostas pelas políticas neoliberais dos governos. Os aracajuanos também estão se levantando.

Porém, não concordamos com o ataque aos prédios públicos porque estes ataques não são realizados pelos manifestantes. São praticados por pequenos grupos infiltrados para colocar a população contra os protestos. Esse tipo de ação busca enfraquecer o movimento e pode justificar a repressão, conforme assistimos na última mobilização do Acorda Aracaju, na terça-feira, 25.

Em nossa avaliação os protestos devem continuar. A voz das ruas deve ser escutada por Dilma, Déda e João. Se os governantes não nos deixam sonhar, nós não os deixaremos dormir.

Aracaju, 26 de junho de 2013.

Vera Lúcia Pereira da Silva Salgado
Presidente Estadual do PSTU/Sergipe

Nenhum comentário:

Postar um comentário