quarta-feira, 19 de junho de 2013

Mendonça Prado critica falta de estratégia no combate à violência



O deputado Mendonça Prado (Democratas-SE) criticou a falta de estratégia do governo federal no combate à violência. Para ele, o grave cenário das drogas no País é um exemplo da ineficiência governamental que tem estimulado a criminalidade. Na opinião do deputado, o controle nas fronteiras é primordial para o enfrentamento do tráfico de drogas e armas, o que não vem ocorrendo na gestão do PT. 

“Para bloquear a circulação das drogas através das fronteiras, é fundamental a atuação da Polícia Federal e também das Forças Armadas. Porém, a ação só poderá ser verdadeiramente eficaz se as instituições, ora mencionadas, tornarem-se destinatárias dos investimentos imperativos”, afirma o parlamentar. “Afinal de contas, são indispensáveis o uso de novas tecnologias para o serviço de inteligência, equipamentos modernos, bem como o aumento do efetivo policial. Se isso não ocorrer, nada valerá o discurso das autoridades, pois não se vence uma guerra com conversa fiada”, acrescenta Mendonça Prado.


A falta de planejamento entre os entes federados na atuação policial é apontada pelo deputado como outro grave empecilho para o sucesso de uma política de segurança pública. “A sintonia entre as autoridades policiais de todos os entes federados é imperiosa. Isso porque, se estados como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, agirem com maior eficácia para repelir o crime e abduzir o criminoso esse fugirá para outras localidades. E se nos outros lugares ele não se deparar com o rigor da força policial bem projetada, agirá como antes, e os índices de violência se manterão. A única diferença é que em vez de morrer alguém em São Paulo ou Rio de janeiro, morrerá em outra unidade da federação”, pondera o democrata.


Para corroborar seu argumento, Mendonça Prado cita o mapa da violência coordenado pelo sociólogo Júlio Jacobo que evidencia o fenômeno conhecido como interiorização do crime, que significa justamente a migração dos atos delituosos de cidades bem policiadas para outras com estrutura de segurança mais deficiente.


“Todos sabem que a combinação das drogas com o uso de armas ilegais não pode resultar em algo satisfatório. Ademais, não há como enfrentar essa combinação maléfica sem uma estratégia bem montada. Para reduzir consideravelmente os efeitos desses incômodos, faz-se necessário uma apropriada decisão política e uma ação governamental eficiente”, argumenta o parlamentar.


Além disso, analisa o democrata, a redução dos índices de violência passa pela melhoria de outros indicadores sociais, como saúde e educação. “Porém, nada será frutífero para que a paz reine se não houver ações concomitantes. A violência chegou a um patamar inadmissível, e todos, indistintamente, tornaram-se alvo fácil da bandidagem. Ou o Brasil reduz a violência, ou a violência abaterá o Brasil”, conclui.



LEIA TAMBÉM:

 

Manifestações de segunda-feira (17/6) geram 550 mil de publicações nas redes sociais

 

Mendonça Prado critica falta de estratégia no combate à violência

 

Comissão de Direitos Humanos aprova projeto sobre "cura gay"

 

Após manifestações por todo país, Pelotas e Cuiabá anunciam redução nas tarifas de ônibus

 

Novo desembargador no TJSE: Ruy Pinheiro toma posse hoje

 

Empresas de ônibus devem quase R$ 1 bilhão e prefeitura pode ter que pagar a conta

 

Em Pernambuco, Eduardo Campos reduz tarifas de ônibus dois dias antes de protesto

 

Justiça condena André Moura por improbidade administrativa

 

Trânsito da Melício Machado terá novo desvio


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário