terça-feira, 14 de maio de 2013

Reunião discute organização e segurança do Forró Caju

Representantes de órgãos envolvidos na realização do Forró Caju 2013 estiveram reunidos na manhã desta terça-feira, 14, para discutir a logística do evento. A reunião aconteceu na sala de reuniões do Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos. 

 
A disposição dos espaços destinados a cada órgão dentro da área do Forró Caju sofrerá algumas alterações este ano, a exemplo da área reservada ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Solicitamos à SMTT que, dentro das mudanças, seja viabilizada uma rota de fuga para caso seja necessário que alguma ambulância faça a locomoção de pessoas da área da festa", falou Silas Lawley, superintendente do Samu.

 A estrutura dos bares também terá uma nova cara este ano. "Todos serão padronizados por igual", informou Selma França, vice-presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). "Quanto aos ambulantes que disputarão as vagas para comercializar no Forro Caju, estamos, junto com a Fundat e Vigilância Sanitária Municipal, fazendo um curso de manipulação de alimentos", complementa Selma.

Segurança
Um dos pontos discutidos na reunião foi a redução do efetivo da Polícia Militar (PM), de cerca de 200 homens/noite em 2012 para 90 policiais/noite este ano. "Não temos como realizar uma festa do porte do Forró Caju sem a presença de policiais militares dentro da área do evento", destacou o secretário Especial de Cultural, Josenito Vitale (Nitinho).

De acordo com o chefe do setor de eventos do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC), tenente Binderli, a redução de PMs que trabalharão na festa é devido à baixa que o efetivo da corporação vem sofrendo a cada ano. "Hoje temos cerca de 3,2 mil homens para fazer o policiamento ostensivo em todo o Estado. A cada no a Polícia Militar de Sergipe perde de 300 a 500 homens", disse.

O representante da PM informou na reunião que a corporação estaria colocando 90 homens para trabalhar por noite, nos dias mais movimentados do Forró Caju. "Estaremos fazendo o policiamento ostensivo da parte externa da festa, com a polícia montada e viaturas. Na parte interna do evento, estaremos cedendo as plataformas de vigilância, mas caberá à Funcaju definir a segurança".

Apesar de entender a situação da Polícia Militar, Josenito Vitale disse ser inviável realizar uma festa do porte do Forró Caju, que recebe cerca de 150 mil pessoas por noite, sem a presença efetiva de policiais no espaço da festa. "É uma responsabilidade muito grande. Mesmo com a Guarda Municipal atuando e colocando segurança particular, a presença da Polícia Militar tem que ser ostensiva dentro da festa. O público se sente muito mais seguro sabendo que a PM está presente".

Uma nova reunião ficou agendada com todos os órgãos presentes para a próxima terça-feira, 21, às 9h, no Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos. Até lá os organizadores esperam ter uma solução para a questão da segurança do Forró Caju. 

Presenças
Participaram da reunião o coordenador de eventos da Funcaju, Emídio Cunha e o assessor da fundação, Léo Viana, além de representantes das polícias Civil e Militar, Samu, Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), Conselho Tutelar, Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Municipal, Secretaria de Defesa Social, Guarda Municipal, Vigilância Sanitária Municipal, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura de Sergipe (Crea-SE) e da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania de Sergipe (CDDHC-SE).

Também estiveram presentes no encontro o secretário-adjunto de Comunicação, André Carvalho e o Chefe do Cerimonial da Prefeitura de Aracaju, Luís Fernando Soutelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário