segunda-feira, 20 de maio de 2013

ENTREVISTA - FÁBIO REIS: "O PMDB está sub-representado no governo"

POR EUGÊNIO NASCIMENTO, do JORNAL DA CIDADE

Acompanhando de perto toda a polêmica a votação da MP dos portos, nesta entrevista ao JORNAL DA CIDADE o deputado Fábio Reis (PMDB) afirmou que a presidente Dilma não está tendo problemas com sua base o congresso, mas diz que o diálogo com o Congresso deve ser melhorado. Fábio falou sobre a política no município de Lagarto, garantindo que seu pai, o ex-deputado federal Jerônimo Reis pode ser candidato em 2014 e que Goretti Reis, apesar das divergências, continua sendo a candidata do grupo em Lagarto. Sobre o governo do estado, o deputado disse que o governador poderia reoxigenar o governo com uma reforma administrativa, porque alguns setores precisam dar uma resposta à sociedade. Ele também reivindicou mais espaço do PMDB no governo. Leia a seguir a reprodução da entrevista concedida ao JORNAL DA CIDADE.

JORNAL DA CIDADE - O governo do estado de Sergipe está parado, como falam alguns opositores?
FR -
Não acho que esteja parado. O nosso governador, mesmo com o problema de saúde, tem nos orgulhado com sua dedicação e empenho em trabalhar pelo povo sergipano. A aprovação do Proinveste é a maior prova do seu trabalho e dedicação, além dos recursos que ele conseguiu com a nossa presidenta para investir na mobilidade urbana, saneamento e infraestrutura na capital e interior. Agora passada essa novela de Proinveste, acho que o governador poderá reoxigenar o seu governo mexendo em alguns setores que precisam dar uma melhor resposta à sociedade.

JORNAL DA CIDADE - Alguns aliados tem cobrado uma reforma administrativa no governo do estado. O senhor acha que está na hora desta reforma ser feita? Porque?
FR - A minha opinião é que o clima é propício a isso. Houve uma alteração nas composições partidárias, o Proinveste já foi aprovado e temos que olhar pra frente e reequilibrar a composição de participação partidária no governo. Eu e meus companheiros do PMDB, por exemplo, estamos nos sentindo sub-representados pelas indicações do partido, além de termos perdido espaço no governo com a saída de Jorge Alberto da Casa Civil. Já apresentei isso ao presidente do partido. É preciso que o partido recupere seu espaço e que os deputados estaduais e os federais opinem também sobre as indicações do partido.

JORNAL DA CIDADE - O município de Lagarto tem sido beneficiado pelo governo estadual e federal?
FR -
O vice-governador Jackson Barreto tem sido um interlocutor entre a prefeitura e o governo. Pequenas ações tem sido feitas, mas Lagarto quer ser tratada de forma diferenciada. Ganhamos a UFM, Zezé Rocha está construindo um shopping, dezenas de condomínios estão sendo construídos. Precisamos de obras estruturantes, como a duplicação da pista da entrada da cidade e construção de um anel viário. Este último é imperativo e urgente! O governo tem investido milhões e mais milhões na capital, mas é preciso corrigir esta distorção. Lagarto precisa ser vista com outra ótica de investimentos. Não vamos abrir mão destes investimentos em Lagarto, e Jackson tem feito esse essa interlocução com o Governador Marcelo Deda.


JORNAL DA CIDADE - E o Proinvest, demorou demais para ser aprovado? Lagarto receeu obras do Proinveste?
FR -
Lagarto será beneficiado com a construção do Mercado de Lagarto, com investimento de R$ 15 milhões, além da estruturação e irrigação do Perímetro Irrigado do Piauí, onde serão gastos R$ 916 mil e com acessos e infraestrutura em núcleos industriais. Isso é muito pouco, mas foi uma solicitação da Deputada Goretti Reis. O lamentável é o outro deputado e líder do governo, que não solicitou nada porque o prefeito não é seu aliado. Uma pena...

JORNAL DA CIDADE - Você solicitou a construção de um Aeroporto em Lagarto? De onde viria o dinheiro? O município tem capacidade pra isso?
FR -
Sim. O Governo Federal possui um orçamento de mais R$ 7,3 bilhões, que devem ser gastos exclusivamente com investimentos em aeroportos. O município tem não só capacidade, mas também necessidade. Lagarto é a sede da região Centro-Sul. Mas não é só isso, pois estive com Saumíneo Nascimento solicitando o gasoduto e a vinda de novas empresas, e já solicitei a JB para conseguir, com o Governador, recursos para a duplicação da estrada da cidade. O Ministro do Turismo, Gastão Vieira, já autorizou o município a realizar um projeto para fazer uma área turística na barragem. Consegui uma Praça da Juventude no Ministério dos Esportes, dentre outras obras mais. 

JORNAL DA CIDADE - Seu pai, o ex-deputado federal Jerônimo Reis pode ser candidato em 2014? A que cargo? Ele está filiado a algum partido?
FR -
Claro que pode! Nós conseguimos fazer justiça e provar que ele é ficha limpa, tem carisma, serviço prestado em todo estado e um potencial eleitoral extraordinário. Ele pode ser candidato ao que ele quiser, inclusive já recebeu vários convites recentemente de diversos partidos, mas no momento ele ainda não se definiu se irá se filiar ou não. 

JORNAL DA CIDADE - Em 2014 Goreti Reis continuará sendo a deputada estadual apoiada pela família?
FR -
Não só da família, mas de todo o grupo Saramandaia. Temos divergências na política estadual, fazemos parte de grupos diferentes, mas isso não é empecilho no apoio mútuo no campo proporcional. Ela fará dobradinhas em outras cidades com outros deputados federais, como eu farei  também. Isso é natural, já ocorreu no passado, mas em Lagarto, estaremos juntos.

JORNAL DA CIDADE - Você será candidato à reeleição em 2014?
FR -
Primeiro quero deixar claro que meu maior objetivo é cumprir o meu papel de deputado federal: Legislar em beneficio da nossa população, apresentando projetos de interesse da sociedade, assim como fiscalizar o Executivo com rigor e defender e honrar o povo brasileiro na tribuna da Câmara. Quero trazer recursos para custeio e investimentos nos municípios do Estado. Depois disso, sim, colocarei, mais uma vez, meu nome à disposição dos sergipanos, para retornar à Câmara Federal.

JORNAL DA CIDADE - O prefeito de Lagarto, Lila Fraga (PSDB), é seu aliado político. Quem ele deverá apoiar para o governo do Estado? Já há uma definição sobre isso?
FR -
Se depender de mim e da maioria do grupo, não tenha dúvida em quem ele votará. Jackson esteve no palanque de Lila, mesmo com o governador estando no palanque de nossos adversários. Mas ele nos disse que só irá tratar do assunto no momento oportuno. Neste momento, ele só está preocupado em reconstruir a nossa cidade e, para isso, o apoio do Governo do Estado para obras estruturantes é fundamental.

JORNAL DA CIDADE - O grupo que faz oposição ao seu, em Lagarto, terá dois candidatos a deputado estadual, em 2014? Valmir Monteiro e Gustinho Ribeiro vão brigar pelo mesmo eleitorado?
FR -
O que se comenta em Lagarto é que se Rogério Carvalho for candidato a Senador, deverá apoiar Valmir para Deputado Federal. Caso Rogério seja candidato à reeleição, Valmir seria seu deputado estadual. Mas este é um problema deles.

JORNAL DA CIDADE - Na sua opinião, João, Eduardo Amorim e Jackson serão os candidatos a governador? Quem iria disputar um possível segundo turno?
FR -
Não sei se meu colega Eduardo Amorim sairia para disputar o governo com João sendo candidato. Tenho minhas dúvidas quanto a isso. Mas se a eleição fosse hoje, as pesquisas internas mostrariam que a disputa seria entre João Alves e Jackson Barreto.
JORNAL DA CIDADE - Qual o papel de Déda nas próximas eleições?
FR -
Papel de capitão do time e nosso candidato a Senador. Tenho dito que Sergipe tem três políticos em atividade que são um exercito em um homem só, Déda. Jackson e João são, inegavelmente, as maiores lideranças individuais do nosso Estado. Então, não abrimos mão que Déda esteja no comando do time. As suas obras em todo Estado, seu carisma e poder de oratória serão uma arma poderosa a nosso favor.
JORNAL DA CIDADE - E Almeida Lima, vai retornar ao PMDB?
FR -
Não sei. Nunca conversei com ele sobre isso, mas depende. Se for pra somar e ajudar ao partido, é um caso a ser analisado.

JORNAL DA CIDADE - O PMDB terá candidato a governador? Jackson É o nome do partido?
FR -
Terá sim! O PMDB não abre mão disso! Jackson é o nome que tem a unidade do bloco de sustentação ao governo, PT,PSB, PSD, PRB dentre outros. Todos eles já declararam apoio público a Jackson. O que está faltando ao partido agora é aumentar o número de candidatos a deputado estadual e federal. Estive com presidente nacional Valdir Raup e é uma exigência a priorização no apoio à eleição de um número maior de Deputados. Jackson já convidou o deputado Adelson a se filiar e eu convidei o ex-deputado Bosco Costa. Temos condições de eleger três federais e cinco estaduais.
JORNAL DA CIDADE - A presidente Dilma está tendo problemas com a sua base de deputados federais? Porque os problemas nas votações de temas importantes?
FR -
Não diria que nossa presidenta esteja tendo problemas com sua base no Congresso. O que tem faltado é um pouco mais de habilidade por parte de sua equipe que está responsável pela articulação política, afinal o parlamento é casa do debate e do diálogo. Acredito que depois dos erros cometidos nas negociações da MP dos portos, o diálogo deve ser melhorado e episódios como este não devem se repetir mais. 

JORNAL DA CIDADE - O senhor apresentou um projeto que visa abater do imposto de renda os gastos com empregadas domésticas. Como está a tramitação da proposta?
Fábio Reis -
O projeto tem como objetivo evitar a demissão em massa dessa categoria e não onerar, excessivamente, as famílias brasileiras. O projeto tramitará em diversas comissões da Câmara e atualmente, está sendo analisado pela Comissão de Finanças e Tributação. 

JORNAL DA CIDADE -  Em reunião com a Conab o senhor conseguiu liberação de milho para os municípios que sofrem com a seca. Porque tanta demora?
FR - O milho demorou a ser entregue por problemas técnicos do próprio órgão, e por ingerência politica. No momento que tomei conhecimento do problema, denunciei a diretoria da Conab que de imediato resolveu o problema. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário