quinta-feira, 30 de maio de 2013

Descarte irregular de medicações é flagrado nos bairros Santos Dumont e Capucho

As secretarias da Saúde e do Meio Ambiente de Aracaju estão trabalhando em conjunto para apurar denúncias de descarte irregular de medicamentos em áreas públicas da capital. Na manhã desta terça-feira, 29, três caixas de medicações vencidas foram encontradas no antigo terreno da Escola de Aviação de Aracaju (Aeroclube), no bairro Santos Dumont, local onde hoje funciona uma base do Grupamento Tático Aéreo (GTA) da Secretaria do Estado da Segurança Pública (SSP).

O fato preocupa os órgãos públicos municipais que também investigam outro incidente envolvendo o descarte de mais 390 kg de medicamentos vencidos que foram encontrados há duas semanas em terrenos baldios no bairro Capucho, região próxima ao local. O coordenador da Vigilância Sanitária de Aracaju, Ávio de Brito, e o secretário adjunto do Meio Ambiente de Aracaju, Cesar Gama, acreditam na possibilidade de ligação entre os eventos.

Segundo Ávio, a suspeita é que alguma empresa está agindo de forma ilegal para não ter que pagar pela incineração e destinação correta do material. "Registramos tudo, temos inclusive os números de lotes de fabricação dos remédios, notas fiscais que podem ser úteis para rastrear a origem das medicações. O descarte irregular é uma atitude criminosa e o autor da infração está sujeito a multas, pena e até mesmo o fechamento da empresa", afirma.

O secretário adjunto do Meio Ambiente de Aracaju, Cesar Gama acrescenta que a atitude, além de crime ambiental, põe em risco a saúde das pessoas. "Os medicamentos são substâncias tóxicas, algumas são nocivas e inclusive têm potencial ofensivo duradouro. Vamos emitir laudos completos, cooperar com demais órgãos e usar a lei a exemplo da legislação de substâncias tóxicas e a política nacional de resíduos sólidos a favor do bem estar e respeito ao cidadão", disse.

Ao fim das vistorias técnicas, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos contatou a Torre que retirou todo o material do local. Segundo o coordenador da Coleta de Resíduos Sólidos da Emsurb, Reinaldo de Souza, "após a remoção, o material ainda ficará acondicionado até o final da perícia para depois  ser levado para incineração e o descarte correto do material".

Inquérito Policial

A denúncia do descarte no Aeroclube foi feita na Delegacia de Proteção ao Consumidor e Meio Ambiente. Segundo o delegado Jorge Ribeiro, a Polícia Civil também irá instaurar inquérito para esclarecer o fato. "Faremos um trabalho minucioso de investigação. Estamos otimistas, pois acreditamos que com o empenho e colaboração de órgãos da Prefeitura de Aracaju como Sema e Vigilância Sanitária podemos conseguir informações importantes e chegar aos suspeitos e por fim indiciar o autor dos descartes irregulares", afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário