quarta-feira, 1 de maio de 2013

Associações de prefeitos sergipanos debatem a seca durante Encontro em Maceió

O presidente da Associação dos Municípios da Região do Centro Sul (AMURCES), Antônio da Fonseca Dória (PSB), o “Toinho de Dorinha”, e o prefeito de Nossa Senhora das Dores, Fernando Lima (PDT), representando o presidente da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba (AMBARCO), Fábio Henrique (PDT), participaram nessa terça-feira (30), do Encontro dos Presidentes de Entidades Municipalistas do Nordeste, ocorrido na AMA (Associação dos Municípios Alagoanos), em Maceió (AL). O presidente da Federação dos Municípios de Sergipe (FAMES) e prefeito de Monte Alegre, Antônio Rodrigues (PSC), o “Tonhão”, também participou da reunião.
 
Um dos principais assuntos do debate foi a seca e a necessidade da implementação de programas de convivência, além de mais ajuda à população. A seca, predominante no Alto Sertão do Estado, tem se estendido por outras regiões. Vários municípios sergipanos decretaram estado de emergência. Para Toinho de Dorinha “as chuvas que caíram nos últimos dias trouxeram um alento, mas muitas regiões a meses não viam uma gota de água. A situação é preocupante em todo Sergipe e nós trouxemos nossa parcela de contribuição para este debate. A seca é realidade. Temos é que incentivar a convivência com a seca”.

Representando a AMBARCO, o prefeito Fernando Lima disse que a situação é ainda mais crítica. “Estamos vivendo uma das piores secas da história. Plantações perdidas e muitos animais sendo sacrificados. Os pequenos produtores estão sem condições de manter seus animais alimentados e eles estão morrendo. O quadro é triste e nós não podemos silenciar diante desta situação. Viemos a Maceió com o intuito de encontrar soluções para o problema da seca”.

Reclamações – Os prefeitos reclamam da burocracia no repasse de recursos emergências, da demora no reconhecimento da Situação de Emergência, nas verbas destinadas aos governos estaduais e que não chegam aos Municípios, na perda agrícola e pecuária, na quantidade de cidadãos que pedem ajuda diariamente e na redução de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) - motivo de agravo neste período de tantos problemas.

Paralisação – Durante o Encontro, os prefeitos discutiram os detalhes da paralisação das prefeituras que deve ocorrer no dia 13 de maio. A ideia de fechar as prefeituras de todos os Estados do Nordeste no dia 13 de maio foi inicialmente discutida no encontro do Conselho Político da CNM, em Canela (RS), no dia 19 de abril. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acompanhou a reunião e prestou assessoria aos líderes municipalistas da região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário