terça-feira, 2 de abril de 2013

Zona de Expansão começa a receber esgotamento sanitário

A Zona de Expansão de Aracaju começou a receber este mês as obras de implantação de esgotamento sanitário. Com um investimento orçado em R$ 42 milhões do Governo do Estado e do Governo Federal, a capital sergipana avança com o plano de expansão da cobertura de saneamento básico. Mais de 42 mil moradores da região serão beneficiados. A obra executada através da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) promove mais saúde, qualidade de vida e contribui para preservação do meio ambiente.

O diretor-presidente da Deso, Antônio Sérgio Ferrari Vargas, reforçou que os investimentos atingem praticamente toda a Zona de Expansão, restando apenas ser contemplado o bairro Mosqueiro. “A Deso expande e muito a meta de universalização do serviço em Aracaju com a implantação de esgotamento sanitário na Zona de Expansão. São obras como essas que estão ampliando a cobertura de esgoto 35% para quase 80% da cidade”, explica.

Os imóveis da Aruana, Santa Tereza, Costa do Sol e conjunto Beira Mar, além de toda a área de condomínios e residenciais que estão surgindo na região, terão o alcance do sistema de coleta e tratamento de esgoto. Entre as localidades atendidas pelo projeto também estão: Aeroporto, loteamentos Jardim Paraíso, Costa Verde, Aquarius II, Diana, Recanto da Paz, JC Barros. Até o ano de 2014 serão implantadas aproximadamente 8.500 ligações e os habitantes dessa região terão um ambiente mais saudável para viver.

Esta semana a frente de trabalho começou a ser colocada em prática no conjunto Costa do Sol. Na área residencial, a empresa contratada pela Deso, a Heca, deu início ao trabalho de escoramento e preparação do solo para instalação das tubulações. O projeto prevê ainda a sondagem das vias públicas que receberão a rede coletora de esgotos, as ligações domiciliares e os emissários. O sistema de esgotamento contará com a construção de 16 estações elevatórias e 81 km de tubulações.

Qualidade de vida

A obra garantirá a existência de serviços coleta e tratamento dos esgotos domésticos que antes não eram executados de maneira adequada. Assim questões que antes eram conflitantes naquelas áreas deixarão de existir. E as consequências mais evidentes dos investimentos são o melhoramento das condições ambientais, de saúde pública e de qualidade de vida.

“O que torna a obra da região como uma das mais importantes é a preservação, porque aquela é uma área bastante vulnerável do ponto de vista ambiental”, acrescenta Ferrari, ao citar que o território beneficiado é formado por antigas lagoas, além de ser margeado pelo mar. Devido a antigas construções domésticas de fossas sépticas e sumidouros, o lençol freático toda a área da Zona de Expansão ficou vulnerável aos riscos de contaminação. É o que apontam estudos produzidos pela Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema).

O engenheiro responsável pelo acompanhamento das obras, Osvaldo Nascimento, explica taisproblemas serão afastados com a implantação do sistema completo de esgotamento. “Com a coleta adequada dos esgotos, as residências não mais terão fossas que contaminam o solo e o lençol freático, nem tampouco a população sofrerá com águas servidas escorrendo eventualmente sobre o leito das vias públicas”, garante.

Por meio dos emissários que serão construídos, o esgoto será coletado e transportado até a ERQ Sul (Estação Recuperadora de Qualidade Sul), situada no Bairro Santa Maria. O material será devidamente tratado antes de ser devolvido a natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário