segunda-feira, 29 de abril de 2013

Vereador propõe criação de programa de castração de animais

A secretária da Saúde de Aracaju Goretti Reis e o adjunto Petrônio Gomes, estiveram reunidos com o vereador Dr. Emerson (PT), o presidente do Sindicato dos Médicos Veterinários do Estado de Sergipe (Sindvese), José Paixão, e a presidente da ONG de Educação e Legislação Animal (Elan), Nazaré Moraes, na manhã desta segunda-feira, 29.  Em presença da coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Aracaju, Roseane Nunes, os gestores  debateram a possível implantação de um programa de Esterilização e Castração de Animais que funcionaria no CCZ  caso seja aprovado na Câmara de Aracaju o projeto de Lei Nº 173/2012 .  
 
Com a aprovação do projeto, Aracaju destinaria recursos para castração gratuita de animais domésticos  abandonados ou em posse da população de baixa renda, possibilitando o controle populacional de animais urbanos. Durante a reunião, o vereador Dr. Emerson destacou que o principal beneficio é viabilizar uma política pública municipal que aponte claramente para o controle efetivo das zoonoses e para proteção dos animais, tendo impacto positivo na saúde pública. 

“A gente sabe das doenças que são transmitida por animais  e do número exorbitante de animais  abandonados nas ruas. O que estamos tentado viabilizar é uma alternativa  eficaz. Uma vez que façamos o controle populacional destes animais,  teremos assim um controle maior das zoonoses e uma política pública melhor para a saúde dos aracajuano e dos  bichos”, afirmou o vereador  que  também propõe a criação do Centro de Esterilização de Animais (CETA) no CCZ. 

A coordenadora do CCZ, Roseane Nunes, elogiou a idéia do vereador e acrescentou que transformar o Centro de Zoonozes em uma referencia em saúde pública é uma das metas da gestão. 

“Embora ainda estejamos enfrentando dificuldades com o nosso canil que permanece interditado por determinação da Justiça, vamos dar uma atenção especial e analisar a proposta do vereador calculando qual o custo das adequações da estrutura física, do  treinamento dos veterinários, além de toda  capacidade e custo do serviço necessária para criação desse serviço. Concordamos que o controle da população animal é um benéfico a saúde pública, pois  cada cadela  ou gata de rua pode reproduzir cerca de oito filhotes”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário