segunda-feira, 22 de abril de 2013

Valadares diz que nunca comprou votos para ser eleito senador


Por Max Augusto

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) disse em entrevista ao site www.universopolitico.com.br que foi atingido de forma injusta pelo também senador Eduardo Amorim (PSC), e que as afirmações do seu adversário exigiam uma resposta. Valadares disse que não adotaria o silêncio para se esconder e que não iria se acomodar esperando que o tempo revelasse a verdade. O senador chegou a afirmar que foi vítima de preconceito por conta da idade e fustigou seus adversários, dizendo que nunca precisou comprar votos. Ele também pediu que Eduardo Amorim (PSC) comparasse a atuação de ambos no senado.
 
“Afirmar que eu não estou bem, como saiu na sua entrevista, é uma ofensa pessoal que repudio, pois insinua que tudo que afirmo não tem valor talvez pelo preconceito da idade, fato que me levaria a ter opiniões disparatadas ou inconseqüentes. Essa insinuação preconceituosa demonstra o desprezo pelos mais velhos, tudo porque  simplesmente não estou alinhado ao seu bloco político, nem me expresso em defesa de seus projetos futuros”, disse Valadares.

Segundo o parlamentar sergipano houve uma tentativa de desqualificar sua condição de Senador, destacando que foi o único da história se Sergipe eleito por três vezes consecutivas, sem comprar nenhum voto. “Sem querer desmerecer a competência do meu colega, basta que a sua assessoria faça um comparativo entre o meu trabalho e o dele, e haverá de concluir que somos dois senadores muito diferentes. Não será preciso publicar o resultado, porque Sergipe inteiro já conhece”, fustigou.
 
Apego
Valadares afirmou que não se apega ao poder, e que prova disso seria seu tempo de militância política na oposição – trabalhando inclusive para ajudar Marcelo Déda a chegar ao poder. “Durante boa parte desse tempo o Senador Eduardo Amorim estava do outro lado participando do Poder, como ainda hoje se encontra, através de seus fiéis escudeiros no comando da Assembleia Legislativa, ou recebendo os benefícios decorrentes de seu apoio ao governo federal”, argumentou o senador do PSB.
 
Adelson e Maria
Na mesma entrevista ao Universo Político Valadares voltou a criticar os deputados Adelson Barreto e Maria Mendonça. “Graças ao apoio desses dois trânsfugas do PSB foi que o grupo do Senador Eduardo Amorim conseguiu dominar a Assembleia Legislativa, antecipando a eleição da Mesa em um ano, fato nunca acontecido nos anais daquela Casa. Depois desse belo papel de se render a um grupo político numa eleição criticada por todos os nossos aliados, o senhor Adelson Barreto, para servir ainda a esse mesmo grupo, queria que o PSB fizesse uma intervenção na secção municipal de Laranjeiras para que ele fosse candidato a Prefeito em aliança justamente com os liderados de Amorim, em contraposição aos nossos amigos e aliados de muitos anos”, denunciou.
 
Quanto à Maria Memdonça, “ela só ingressou no PSB porque recebemos um apelo de seu pai Chico de Miguel”, informou o senador. “Sabíamos do temperamento complicado e difícil da deputada, mas não podíamos negar o pedido do amigo. Chico de Miguel na época tinha receio de o seu grupo ser engolido pelos Amorim. Segundo as próprias palavras dele, jamais esse grupo, se dependesse dele, ocuparia a posição de liderança que ele detinha em Itabaiana”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário