segunda-feira, 29 de abril de 2013

Senador Eduardo Amorim reforça que estará sempre à disposição da UFS

Nesta segunda-feira, 29, o senador Eduardo Amorim voltou a encontrar o reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Angelo Antoniolli, na reitoria, para tratar sobre os resultados da ida ao gabinete em Brasília no último dia 10 e, principalmente, das conquistas com a audiência com o secretário executivo do Ministério da Educação (MEC), José Henrique Paim. 


Durante a audiência com Paim foi solicitado empenho para a expansão da UFS, ampliação de novos cursos e a infraestrutura necessária nos campi. O senador lembrou a necessidade da construção de um novo prédio para o campus de Itabaiana, que atualmente funciona no CAIC, com uma estrutura considerada limitada. O parlamentar solicitou, ainda, a disponibilização dos cursos de Direito e Música, uma reivindicação dos itabaianenses. Paim falou da liberação de R$ 110 milhões para a estruturação doscampi, dos quais R$ 16 milhões será para o Campus de Itabaiana.

Foi discutido com o reitor, a construção de um campus para o Sertão e um para a cidade de Estância, que vem com o projeto de expansão da instituição pelo Estado. Esse pleito, também, foi levado ao secretário executivo do MEC.

Hoje o reitor agradeceu ao senador Eduardo Amorim por, em menos de 1 mês, ir duas vezes a instituição sem ser preciso convidá-lo. “Isso mostra que tem compromisso com a educação. Temos outra audiência marcada com Paim no próximo dia 2 e se precisar estarei solicitando novamente, sua ajuda senador, para que possamos voltar juntos no MEC”.

“Tenho um sonho que é ver a UFS espalhada pelo Estado, nem que tenha só duas salas de aula, mas terá o ensino superior para aquelas pessoas. Incentiva a população. Hoje o prefeito de Capela, Ezequiel Leite, está nos acompanhando para solicitar um campus para o município”, enfatizou o Senador. 

“Uma universidade se faz com o diálogo com a sociedade e os senhores, aqui presentes, representam essa sociedade. A expansão da universidade tem sido muito tímida em Sergipe. Minas Gerais, por exemplo, tem mais de 7, o Rio Grande do Sul, tem mais de 5. Então não avançamos muito”, diz o reitor Antonielli acrescentando que é importante disponibilizar cursos que sejam bons para cada região, de acordo com o desenvolvimento dela. “Depois que começa o processo de expansão a tendência é crescer e nunca fechar a instituição no município”.

O senador Eduardo Amorim diz que é preciso agarrar as oportunidades. “Fui criado para não deixar passar as oportunidades da vida e temos que aproveitar todas elas. Com a expansão da UFS não é diferente. Vamos ao MEC quantas vezes for preciso, assim como fazemos em outros ministérios. Estaremos sempre à disposição”, explanou.

Estavam presentes na reunião, o deputado estadual Zeca da Silva, o prefeito de Capela Ezequiel Leite, o diretor do campus de Lagarto, Mário Adriano dos Santos, o diretor do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Antônio Paixão e o chefe de gabinete do reitor, Marcionilo Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário