quarta-feira, 24 de abril de 2013

Propaganda partidária custará R$ 300 milhões em 2013

A corrida presidencial de 2014 já começou e a propaganda partidária é um dos principais pilares para os possíveis candidatos. Mesmo não sendo ano eleitoral, a União deixará de arrecadar cerca de R$ 300 milhões em razão de propagandas partidárias. Em exercícios que não possuem pleitos gerais nem municipais, como 2013, a isenção tributária para o horário eleitoral continua em vigor, pois são veiculadas propagandas institucionais das agremiações políticas. 

Em 2009, por exemplo, quando não houve pleito, a estimativa de perda de arrecadação foi de R$ 669 milhões, a segunda maior nos últimos onze anos. Entre 2002 e 2012, a Receita Federal deixou de arrecadar R$ 4 bilhões em razão dos períodos eleitorais. As emissoras de rádio e televisão recebem para transmitirem a propaganda partidária, que não é paga pelos candidatos e partidos políticos.

Clique aqui e leia mais no Contas Abertas 



LEIA TAMBÉM:

 

Emmanuel volta a cobrar laudos que comprovem emergência em obra da 13 de Julho

 

Relatório do TCE detalha ocorrências processuais do município de Capela

 

Dirigente nacional do PT discute em SE impactos da crise econômica no Brasil

 

Jackson Barreto mantém diálogo com empresários espanhóis

 

Valadares Filho quer incentivar a prática esportiva nos municípios

 

Max Prejuízo defende Consórcio Público como solução para o transporte

 

Sergipe não registra óbitos por dengue

 

Mais de 80% dos brasileiros acham que é fácil desobedecer lei no país, diz pesquisa

 

Propaganda partidária custará R$ 300 milhões em 2013

 

Número de smartphones duplica em um ano

 

Deputado quer proibir caveira como símbolo policial

 

Listas de filiados a partidos políticos no Brasil já estão disponíveis no Portal do TSE

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário