sexta-feira, 26 de abril de 2013

Marcha da indignação toma às ruas de Aracaju por melhorias na educação pública

Milhares de professores da rede estadual foram às ruas reivindicar qualidade na educação pública e valorização profissional, e mesmo com a forte chuva marcharam na tarde da última quarta-feira (25) em direção ao Palácio do Governo para pleitear uma possível negociação sobre o pagamento do piso na carreira.


A Marcha fez parte do calendário de lutas da Semana Nacional da Educação e aconteceu em todo o país. Entre as bandeiras de luta está os 10% do PIB para a educação pública, o investimento dos 100% royaltes, o pagamento do piso na carreira, aprovação do Plano Nacional da Educação, Convenção 151 da OIT e a valorização dos profissionais da educação.


A deputada estadual Ana Lúcia (PT) e o vereador Iran Barbosa (PT) estiveram presentes no ato e se somaram a luta da categoria. “Até pouco tempo atrás o investimento do PIB na educação era de 3%, hoje é de 5% mas ainda está longe de chegar ao que queremos que é de 10% para a educação pública”, ressaltou o educador.

A professora Ana Lúcia reforçou a luta pela qualidade na educação pública, e que é preciso haver mudança no modelo da escola pública. “Se a educação não for priorizada não teremos uma sociedade verdadeiramente democrática e soberana”, alertou Ana.


Acrescentou que não apenas o Brasil está encampando a bandeira pela qualidade na educação, mas outros cem países também paralisaram pela valorização do magistério com o seguinte slogan ‘Nem herói, nem culpado, o professor tem que ser valorizado’.


 “Vieram professores e estudantes mostrar que nós sabemos fazer luta, essa luta é de todos, é a luta da sociedade sergipana. Estamos nas ruas mais uma vez lutando por melhores condições de trabalho”, afirmou  Angela Melo.


A presidenta do Sintese observou que é necessário tornar a escola pública um espaço atrativo para as crianças, jovens e adultos, onde eles despertem o prazer em estar lá, que seja o lugar onde se promova cultura, que tenha biblioteca, sala de informática e com alimentação de qualidade.


Os Professores e Professoras de São Cristóvão também marcaram presença exigindo mais respeito, e denunciando as cruéis medidas da prefeitura na redução dos salários, cortes de direitos na carreira do magistério público. Ao final do ato a categoria seguiu para o Palácio do Governo, no entanto, não foi recebida  para fazer a negociação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário