quinta-feira, 11 de abril de 2013

João Alves fecha lixão do Santa Maria

O dia 16 de abril de 2013 será histórico para Aracaju. Isso porque finalmente a administração municipal cumprirá a Lei de resíduos sólidos. A decisão atende a um pedido do prefeito de Aracaju João Alves Filho, que se inquietava com a situação caótica do lixo municipal e a ausência de condição humana com que viviam os catadores do bairro Santa Maria no lixão que será desativado.
 
A reunião para decidir últimos detalhes da divulgação do dia da transferência do lixão do bairro Santa Maria para um aterro sanitário em Rosário do Catete ocorreu hoje com o secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), Carlos Batalha, os representantes da Empresa Estre, Francisco Aragão, Frederico Lima, e a assessora de Comunicação, Osanilde Oliveira, além do secretário municipal de Comunicação de Nossa Senhora do Socorro, Henrique Matos.
"Após 30 anos Aracaju viverá um momento histórico. Em três meses de administração, o prefeito João Alves Filho dá a destinação correta ao lixo que tanto incomodava e diversos setores que corriam riscos, desde a questão da saúde até os riscos aeroviários. Porque, por um milagre de Deus não tivemos riscos maiores", afirmou o secretário de comunicação de Aracaju, Carlos Batalha.
De acordo com o Gerente de unidade da Estre - empresa que será responsável pelo aterro sanitário em Sergipe-, Francisco Aragão, relatou que ao invés dos caminhões compactadores fazer as coletas e depositar os lixos nos lixões, serão depositados na unidade de transbordo no quilômetro 9, na BR 235, em Nossa Senhora do Socorro. E, posteriormente será enviado para o aterro sanitário.
"O grau de importância desse ato é o fechamento dos lixões. Existe a Lei  que determina que a partir de 2014, os lixões sejam fechados. E, as duas prefeituras já estão se antecipando. Para que fique bem claro, a diferença de um lixão para um aterro sanitário é o tratamento do chorume que é produzido no lixão, que sem o tratamento devido, ele contamina os lençóis freáticos, e num aterro, o gás metano que é produzido também será tratado", explicou o gerente de unidade da Estre.
O secretário de comunicação Henrique Matos, representando o prefeito de Socorro, Fábio Henrique, descreveu que a situação é um marco histórico para ambas as prefeituras, pois segundo ele, esse é um problema social que vem afetando a população há mais de trinta anos em Aracaju e há vinte anos em Socorro. "Com o fechamento dos lixões dos nossos municípios, estamos dando dignidade às pessoas e acima de tudo estamos respeitando o meio ambiente. Na verdade isso é um divisor de águas, dentro de um contexto social, e de uma nova ideologia que tantos os gestores de Aracaju e o de Nossa Senhora do Socorro, pregam de querer o bem para sua comunidade".
A Secretaria de Comunicação da PMA disponibilizará no dia 16 de abril às 7h da manhã, o transporte - que sairá do Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos - para a imprensa conhecer a estação de transbordo, em Socorro, e o aterro sanitário, em Rosário do Catete. Estarão presentes os prefeitos de Aracaju, João Alves Filho, e de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique, além dos representantes da Estre, autoridades e convidados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário