segunda-feira, 8 de abril de 2013

Comissão discute venda de remédios fora do balcão das farmácias

A Comissão de Seguridade Social e Família discute, na quinta-feira (11), decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de liberar a venda de remédios isentos de receita médica em gôndolas de farmácias e drogarias, ficando ao alcance direto do consumidor. A audiência pública será realizada às 9h30, no Plenário 7.

A resolução da Anvisa que liberou a venda fora do balcão foi publicada em julho do ano passado. O texto determina que os remédios de venda livre devem ficar em área separada da de produtos como cosméticos e devem ser organizados por princípio ativo para permitir a fácil identificação pelos consumidores.

O texto também exige que, na área destinada aos remédios de venda livre, sejam fixados cartazes com a seguinte orientação: “Medicamentos podem causar efeitos indesejados. Evite a automedicação: informe-se com o farmacêutico.”

Até então, uma resolução da Anvisa, publicada em 2009, obrigava a venda dos remédios isentos de prescrição médica atrás do balcão do farmacêutico. Por meio de nota, o órgão informou que a determinação foi amplamente questionada pelo setor e rendeu cerca de 70 processos judiciais - 11 estados chegaram a criar leis estaduais para reverter a proibição da venda nas gôndolas.

Um estudo, segundo a agência, demonstrou que a decisão de posicionar os remédios de venda livre atrás do balcão não contribuiu para reduzir o número de intoxicações no Brasil. O relatório apontou também prejuízo ao direito de escolha do consumidor.

Automedicação
O deputado Eleuses Paiva (PSD-SP), que propôs a audiência, aponta, no entanto, que a decisão de liberar a venda de remédios nas gôndolas induz à automedicação. “A revogação da resolução de 2009 pode, de acordo com as entidades de profissionais de saúde, aumentar o número de casos de intoxicações medicamentosas e banalizar o consumo de medicamentos, por meio de estratégias mercadológicas de vendas”, afirma.

Foram convidados para o debate o presidente da Anvisa, Dirceu Barbano; o presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino Cardoso Filho; o presidente do Conselho Federal de Farmácia, Walter da Silva Jorge João; e o presidente do Conselho Federal de Medicina, Roberto Luiz D' Avila.


Da Agência Câmara 

LEIA TAMBÉM:


 

Sugestão de folha de ponto para empregados domésticos

 

SSP define novas estratégias para a segurança em Lagarto e anuncia entrega de novas viaturas

 

CAE vota isenção de impostos para instrumentos musicais

 

Câmara aprova publicação de biografias não autorizadas

 

Comissão discute venda de remédios fora do balcão das farmácias

 

Seca: situação continua grave no Nordeste e norte de Minas Gerais, diz Dilma

 

Receita libera consulta a lotes residuais do Imposto de Renda



Nenhum comentário:

Postar um comentário