segunda-feira, 29 de abril de 2013

“Anúncio é autoritarismo, é monólogo”, diz Iran Barbosa sobre os 5% de reajuste da PMA aos servidores



Na Sessão Especial desta segunda-feira, 29/4, na Câmara Municipal de Aracaju, em comemoração pelo 1º de Maio - Dia do Trabalhador, o vereador Iran Barbosa (PT) defendeu, mais uma vez, (em função do debate que se estabeleceu durante a sessão, centrado no pífio reajuste de 5% já anunciado pelo prefeito João Alves Filho (DEM) para os servidores públicos de Aracaju) que o Executivo Municipal estabeleça um método de negociação permanente com os servidores que não envolva somente o momento da negociação salarial.


“Porque a pauta dos servidores envolve salário, mas também outras questões muito profundas e sérias, que têm a ver com condições de trabalho, as relações internas da administração pública com o servidor, entre outras questões”, enfatizou o parlamentar. “Sem isso, haverá sempre uma falta de qualidade na negociação com os servidores públicos”, disse.

Ele também defendeu que o prefeito da Capital abra o diálogo com os servidores e busque negociar um reajuste mais generoso, já que o município tem folga financeira para tal. Para Iran, é preciso avançar diante da visão autoritária e conservadora de alguns gestores públicos que fazem apenas anunciar reajustes aos servidores públicos, seja no âmbito estadual ou municipal.

“Precisamos superar esta etapa autoritária do anúncio para chegar à etapa da negociação. Anúncio é autoritarismo, é desrespeito ao diálogo, é monólogo. Isso tem que ser superado na administração pública”, defendeu da tribuna.

O vereador petista reiterou o que vem colocando, desde o início do ano, nos diversos espaços que ocupa: que os dados econômico-financeiros do município de Aracaju, apresentados oficialmente pelo governo municipal, mostram capacidade de reajustar os salários dos servidores de forma mais generosa, sem atingir o teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal para despesa com pessoal.

“Em Aracaju, o prefeito tem a tranquilidade de dialogar sobre reajuste de servidores públicos sem se preocupar com a LRF. Há uma folga, e não sou eu quem diz. São os balanços apresentados pelo próprio secretário da Fazenda municipal (Nilson Lima) e encaminhados a esta Casa”, alertou Iran Barbosa.

Retroatividade
Em função dessa margem de folga para negociação, o petista defendeu que é fundamental que o prefeito João Alves receba as categorias e dialogue com os servidores, apontando para um reajuste melhor, alertando, ainda, para a retroatividade, que precisa ser assegurada. A data-base dos servidores de Aracaju é 1º de janeiro.

“Se for a partir de abril, ficarão de fora três meses, o que implica em perdas ainda maiores para esses trabalhadores, que já estão bastante prejudicados”, colocou.

Iran Barbosa lembrou, ainda, que vem acompanhando e defendendo a luta dos servidores de Aracaju ao longo do mês de abril. O parlamentar defendeu na tribuna a pauta dos servidores, recebeu e dialogo com lideranças da Intersindical e leu, incluindo nos Anais da Câmara, a Nota de Repúdio das várias categorias ao anúncio de 5% de reajuste feito pelo prefeito.

“Tenho procurado contribuir neste debate, participei da audiência que aconteceu entre o prefeito e o SINDIMED, aqui procurei melhorar a forma como foi concebido o projeto de reajuste do magistério de Aracaju, apresentando emendas, sendo uma delas aprovada, garantindo que as tabelas de vencimento fossem incluídas no projeto, enfim. Tenho consciência que esta Casa Parlamentar tem um papel importante a cumprir, o de mediadora entre os servidores e a administração municipal, e espero que a gente consiga avançar neste sentido, porque da forma que está não pode continuar”, enfatizou o petista.

A sessão especial, requerida pelo vereador Emmanuel Nascimento (PT), contou com a presença de vários representantes de sindicadotos de servidores de Aracaju e de três grandes centrais, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Força Sindical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário